2. Camp Nou (Barcelona)

Camp Nou será palco para o clássico entre Barcelona e Real Madrid, neste sábado (Foto: Divulgação)

Josep Maria Artells 
31/03/2016
12:32
Diretor adjunto do Mundo Deportivo

O Clássico viverá um ambiente elétrico impregnado pela figura de Johan Cruyff. O duelo convida os torcedores do Barcelona para compartilhar memórias, encantos e emoções nas arquibancadas do Camp Nou e sentir-se protagonista de primeira fila em um adeus em massa. Estarão todos. Desde a família de Cruyff aos últimos presidentes, ao torcedor comum. Os incentivos por parte do tributo a Johan continuarão no gramado, onde Iniesta antecipou que a vitória será uma homenagem dos jogadores de Luis Enrique ao holandês. Andrés tem uma gama no final do jogo, apesar dos dez pontos que os separam, o que significa que existem muitos estímulos em jogo além de colocar em jogo o prestígio; ou seja, que o Barça vai procurar seus invictos 40 e os três pontos porque seu desafio é ganhar o título o mais cedo possível, talvez no dia de 23 de Abril de Sant Jordi, a três jogos do final, se ele pode manter os nove pontos à frente do Atlético.

O Barça quer fechar antes a Liga para se dedicar a Liga dos Campeões e a Copa do Rei. É claro favorito, sabe de memória como jogará e el “vírus Fifa” não interrompeu a programação de gala. O Real Madrid, concentrado obsessivamente no seu duelo europeu contra o Wolfsburg, tem o clássico engasgado. Incomoda tremendamente e é perturbador. Ele tropeçou e está com muitos momentos de apatia. Mas tem obrigações. Bater um grande como o Barça após o jogo de ida 0-4, sem Messi, vencer o Atlético na tabela e fazer um jogo que injete confiança entre os seus passatempos desolados.

Por outro lado, Zidade, em estado interino se não ganhar a Champions, deve demonstrar no Camp Nou que é um treinador capacitado para dirigir o Real Madrid. A continuidade de seus craques também estão em jogo. E Florentino não pode permitir fechar a temporada em branco ante a ameaça do segundo Triplete. Grande momento Blaugrana em um dia para lembrar.

Josep Maria Artells - Diretor adjunto do Mundo Deportivo, parceiro do LANCE!