Gol de Messi - Barcelona x Granada (Foto: Lluis Gene / AFP)

Messi fez três gols na rodada do fim de semana (Foto: Lluis Gene / AFP)

RADAR/LANCE!
11/01/2016
11:00
Rio de Janeiro (RJ)

Messi é o grande favorito a levar a quinta Bola de Ouro para casa. Na disputa com Neymar e Cristiano Ronaldo, o argentino aparece como o virtual campeão do prêmio de Melhor Jogador do Mundo em 2015 e não deve ter dificuldade de confirmar isso nesta segunda-feira, em cerimônia realizada pela Fifa em Zurique, na Suíça.

O LANCE! ouviu a opinião de quatro jornalistas sobre o tema: Bruno Sturari, do Olé (ARG), Jose Carlos Freitas, do Record (POR), Paco Aguillar, do Mundo Deportivo (ESP) e o colunista Roberto Assaf. Confira abaixo quais são as impressões deles sobre quem será o vencedor da Bola de Ouro:


Bruno Sturari (OLÉ)
Aqui na Argentina não há dúvidas de que Messi será escolhido pela quinta vez como o melhor jogador do mundo. Ele fez por merecer. Ganhou cinco títulos, liderou o Barcelona em momentos decisivos e foi mais uma vez a astro da companhia. O grande jogador do país nos últimos anos retomará o trono e não devolverá tão cedo a Cristiano Ronaldo.

Por falar no atacante do Real Madrid, é injusto que o português ocupe o lugar de Suárez na votação da Fifa. O uruguaio foi sublime ao lado de Messi e Neymar. A questão é que o charrúa não tem o mesmo marketing do camisa 7 dos Blancos.

Mas, já que Cristiano entrou na disputa, creio que é razoável que ocupe a terceira colocação. A segunda fica com Neymar, que pode chegar ao lugar mais alto em alguns anos.

Messi foi soberano, fantástico e determinante. Os dois meses afastados por uma lesão e a derrota para o Chile na Copa América não tiram o brilho das jogadas de 2015. O drible sobre Boateng na semifinal Champions, a arrancada contra a defesa do Athletic Bilbao na final Copa do Rei, os gols, as faltas precisas... Tudo ficará eternizado

Paco Aguillar (MUNDO DEPORTIVO)
​Sem dúvida, Messi fez um 2015 extremamente superior em relação aos concorrentes. O argentino segue como um jogador fundamental para o Barcelona, e ajudou os catalães a ganharem cinco troféus em seis disputados na temporada.

Não há dúvidas de que Neymar segue em um bom caminho para suceder Messi, tanto que fez um ano superior a Cristiano Ronaldo e mereça ficar com segundo lugar. Só que o brasileiro ainda está muito longe de ter o futebol de Messi, que foi sempre decisivo nas partidas que o Barcelona precisou dele.

Roberto ASSAF (COLUNISTA DO LANCE!)
​Cristiano Ronaldo, Messi ou Neymar. Será um deles, é claro. O brasileiro está jogando muito, mas ainda não mostrou amadurecimento suficiente para merecer o prêmio, vide a confusão que aprontou na Copa América do ano passado, e o fato de receber cartões amarelos, no Espanhol e na Liga dos Campeões, com alguma frequência. E no entanto, se a prioridade absoluta for o futebol, Neymar tem a mesma possibilidade de ganhar.

De qualquer forma, vale lembrar que o português não tem contado muito com o auxílio assíduo de outros dois craques, no caso do Brasileiro, Messi e Suarez, e no do argentino, Neymar e Suarez. Detalhe: os dois jogadores do Barcelona conquistaram tudo, incluindo Europa e Mundial, o que lhes dá mais chance de levar a bola para casa.

Jose Carlos Freitas (RECORD)
Quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha? Quem é melhor, Messi ou Cristiano Ronaldo? Ou Neymar? Você pode passar horas, dias, semanas discutindo e não chegar a acordo com o seu amigo do lado. Messi deverá receber mais um prêmio de Melhor Jogador do Mundo atribuído pela FIFA e será com todo o mérito que isso vai acontecer.

Cristiano Ronaldo pode ter tido um ano de altos e baixos, mas continuou a ser um gigante no Real Madrid. Neymar sem dúvida explodiu em definitivo e provou aos torcedores do Barcelona que tem qualidade para discutir com os melhores. Mas o português e o brasileiro terão de tirar o chapéu ao argentino.

E continuará a ser assim nos próximos anos, uma luta Leo Messi e Cristiano Ronaldo para todos nós, amantes do futebol, discutirmos qual deles é o melhor. Os dois e nenhum, digo eu. O que os separa não é o talento extraterrestre que qualquer um deles coloca em campo, mas sim … as suas equipas. É aí, na diferença do acompanhamento que ambos têm no Barcelona e no Real Madrid, que está a verdadeira diferença entre os dois.

Os números estão aí para o provar: desde que chegou ao Real Madrid, na temporada 2009/10, Cristiano Ronaldo ganhou apenas sete troféus com a sua equipe e entre eles só um título de campeão de Espanha. Isto é, no período em que tem o melhor marcador da sua história (Cristiano Ronaldo) o Real Madrid ganhou apenas uma vez o campeonato do seu país! No mesmo espaço de tempo, o Barcelona de Messi arrebatou 14 títulos diferentes, entre eles quatro ligas espanholas. Só mais um número: nesse período, Ronaldo marcou 339 gols pelo Real Madrid e Messi 347 pelo Barcelona – estão tecnicamente empatados.

Assim, e se o futebol é uma mistura de jogo coletivo aprimorado pelo talento individual de alguns superdotados, melhor se percebe que o título de Melhor do Mundo seja para Lionel Messi. Não podia ser de outra forma.