Brasil x Alemanha (Foto: Ari Ferreira/ LANCE!Press)

Dos titulares no 7 x 1, na Copa de 2014, jogador algum está no atual grupo (Foto: Ari Ferreira/ LANCE!Press)

LANCE!
03/06/2016
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Se você é capaz de escalar de cor e salteado o time titular daquele vexame brasileiro contra o Alemanha, na Copa do Mundo de 2014, saiba que nenhum desses jogadores tem possibilidade de começar jogando na Copa América Centenário, que começa nesta sexta-feira, nos Estados Unidos. Isso porque, Luiz Gustavo, o último remanescente dos que iniciaram naquele 7 x 1, pediu dispensa ao técnico Dunga por conta de problemas pessoais.

Mesmo que estivesse no elenco, ele provavelmente não estaria na equipe que começará a partida contra o Equador, neste sábado, uma vez que Casemiro, volante que foi um dos destaques do título do Real Madrid (ESP) na Liga dos Campeões, tem sido o escolhido para a vaga durante os treinamentos.

Do atual grupo da Seleção Brasileira, apenas três jogadores estiveram na última Copa do Mundo: o lateral-direito Daniel Alves, o meia-atacante Willian e o atacante Hulk, todos reservas na derrota histórica

Em todas as partidas após aquela eliminação no Mineirão – disputa de terceiro lugar, na despedida de Felipão, e o restante, já com Dunga no comando –, ao menos um jogador da escalação inicial havia sido titular contra a Alemanha.

Do atual grupo da Seleção Brasileira, apenas três jogadores estiveram na última Copa do Mundo: o lateral-direito Daniel Alves, o meia-atacante Willian e o atacante Hulk, todos reservas na derrota histórica, em que Felipão iniciou com: Julio Cesar, Maicon, Dante, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho, Oscar, Hulk e Bernard; Fred.

Daniel Alves - Brasil x Panama
Daniel Alves em ação contra o Panamá (Foto: Jason Connoly / AFP)

Renovada e com uma mescla entre experiência e juventude, Dunga deve dar o pontapé inicial na competição com Alisson, Daniel Alves, Gil, Miranda e Filipe Luís; Casemiro; Elias, Renato Augusto, Philippe Coutinho e Willian; Jonas.

Aos poucos, o Brasil vai ganhando uma nova cara e, quem sabe, consegue novas conquistas para que aquele 7 x 1 perca espaço na memória dos que presenciaram. A primeira chance começa já nesta edição especial da Copa América, competição que Dunga conseguiu, também com um time contestado.