José Maria Marin, ex-presidente da CBF (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

José Maria Marin está em prisão domicilar nos Estados Unidos (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

LANCE!
11/11/2015
09:50
Nova Iorque (EUA)

O ex-presidente da CBF, José Maria Marin, preso nos Estados Unidos, recebeu 6,2 milhões para ser presidente do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo em 2013 e 2014. Segundo o jornal "Folha de S. Paulo", R$ 3,6 milhões (ou R$ 307 mil por mês) somente no ano do Mundial. O dirigente assumiu a entidade máxima do futebol brasileiro e o Comitê após a renúncia de Ricardo Teixeira.

No ano anterior à Copa, Marin declarou ter recebido R$ 1,6 milhão pelo trabalho no COL. O jornal revela ainda que o cartola brasileiro recebeu quase R$ 1 milhão em 'participação nos lucros e resultados'. Contudo, o contrato social do Comitê diz que os resultados financeiros de 2013 'devem ser alocados em conta de reserva, não havendo dividendos a distribuir', segundo a publicação.

O ex-presidente da CBF foi preso no fim de maio, em Zurique, junto com outros seis dirigentes da Fifa, na véspera da eleição na entidade. Neste mês, foi autorizada a extradição de Marin para os Estados Unidos, de onde partiu a investigação sobre a organização máxima do futebol mundial. No país norte-americano, ele cumpre prisão domiciliar após pagar milionária fiança.