RADAR/LANCE!
23/02/2016
18:45
Turim (ITA)

Juventus e Bayern de Munique fizeram um jogo excelente na tarde desta terça-feira, em Turim, na partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. O Bayern fez um primeiro tempo primoroso, dando o tradicional show de técnica e flutuação dos seus jogadores, sufocando os donos da casa, que atuaram na retranca. Na etapa final, os Bávaros seguiram mandando até os 15 minutos da etapa final, administrando a vantagem de 2 a 0 (gols de Thomas Müller e Robben). Porém, quando a partida dava indícios de estar liquidada, a Juventus achou um gol (de Dybala) e tirou forças para equilibrar o duelo e arrancar um empate em 2 a 2 que parecia improvável. Sturaro igualou o placar.

Com o resultado, o jogo da volta, que ocorrerá no dia 16 de março, no Allianz Arena, em Munique, está em aberto. Quem vencer avança ás quartas. Empates de 0 a 0 ou 1 a 1 classificam o Bayern; 2 a 2 leva o jogo para os pênaltis e igualdades a partir de 3 a 3 qualificam a Juventus.

O JOGO

O Bayern de Munique, com a sua frenética troca de posições entre os jogadores e qualidade espetacular nos passes, fez a Juventus, mesmo em casa, jogar totalmente retrancada no primeiro tempo. Com 15 minutos de jogo, o time alemão ostentava 75% da posse da bola e lamentava não ter aberto o placar em pelo menos duas oportunidades, um chute de Vidal aos três minutos que Buffon espalmou e uma bola que Thomas Müller se enrolou na cara do goleiro da Juve - depois de uma trama muito bem orquestrada por Robben e Lewandowski- e deixou a zaga rechaçar.

O interessante é que mesmo com pouca posse, a Juventus era muito inteligente com a bola no pé. Isso ocorria graças ao bom trabalho de seus quatro jogadores do meio de campo. Cuadrado, Marchisio, Khedira e Pogba eram eficientes volantes-marcadores tentando anular o vaivém dos alemães. Cuadrado e Pogba eram praticamente laterais. Com a bola, o quarteto rapidamente se colocava rumo ao ataque, apoiando a dupla Dybala e Marchisio e chegando com perigo. Num dos contra-ataques, Pogba encontou Dybala que cruzou e Lewandowski por milímetro não pegou bem para fazer o gol juventino.

Mas o que encantava era mesmo o jogo do Bayern. Não havia um zagueiro fixo. Kimmich, Vidal e Alaba se revezavam na posição de defensor central. Na teoria Kimmich era o lateral-direito, pois Lahm fechava para meio. Bernat fazia a posição de lateral-esquerdo, mas quem caía por ali era Thiago Alcântara. E, definitivamente, Guardiola colocou Robben como ponta direita (anulando qualquer avanço de Evra) e Douglas Costa como ponta-esquerda, o que fazia Lichtsteiner ficar plantado e ainda precisar da ajuda de Cuadrado. Não bastasse, Müller e Lewandowski não ficavam parados no ataque.

Para conseguir segurar a loucura ofensiva alemã no primeiro tempo e manter o 0 a 0 no placar na reta final do primeiro tempo, a Juve recuou ainda mais, com seus dez jogadores de linha marcando na metade da sua intermediária. Só que aos 43 saiu o gol do timaço de Munique. Quando Khedira tentou sair com a bola e foi desarmado, em segundos o Bayern armou o bote e fez 1 a 0. Thomas Müller tocou para Robben pela direita; o cruzamento do holandês não foi para Lewandowski no meio da área, mas bem à esquerda para Douglas Costa, que escorou buscando Lewandowski; a zaga rechaçou no pé do desmarcado Thomas Müller que fuzilou para terminar com a invencibilidade de quase 800 minutos do goleiro Buffon (não levava gol desde a vitória por 2 a 1 sobre a Sampdoria, em janeiro).

O lance foi muito rápido, provavelmente o lancenauta demorou mais tempo lendo esta jogada do que as feras do Bayern armaram a trama desde o meio de campo até o arremate de Thomas Müller.  E com um detalhe: neste lance, o Bayern posicionou seis jogadores dentro da área dos italianos.

No segundo tempo, a Juventus voltou com o brasileiro Hernanes no lugar de Marchisio, que sentiu uma lesão e pediu para sair. A alteração deixou a Juventus um pouco mais avançada, mas o Bayern seguiu mandando na partida e com um pouco mais de espaço.  Isso foi muito bem aproveitado aos nove minutos, quando Thiago Alcântara fez uma ligação direta para Lewandowski e o camisa 9 esperou Robben entrar na área. O passe  chegou para o holandês, que limpou a marcação de Barzagli e chutou de canhota com categoria no canto direito de Buffon: 2 a 0. 

O jogo estava tranquilo para o Bayern. Mas aí um erro acordou a Velha Senhora aos 18 minutos. Uma jogada puxada por Quadrado foi até  a entrada da área dos alemães. Kimmich rechaçou mal e Mandzukic ficou com a sobra, tocando para Dybala fazer 2 a 1.

A torcida italiana, que estava calada, acordou. A Juventus, que estava entregue, ganhou ânimo. E por duas vezes quase empatou: aos 21 minutos Cuadrado recebeu livre na área e chutou em cima de Neuer. Que chance de ouro desperdiçada. No minuto seguinte, Pogba chutou por cima do travessão. 

O momento do jogo passou a ser todo da Juventus e o treinador Massimo Allegri  tratou de colocar o time ao ataque, fazendo entrar Sturaro, aos 23,  e Morata, aos 29. Logo no minuto seguinte que entrou, Morata recebeu de Mandzukic pela esquerda e de primeira, de cabeça, jogou para o meio da pequena área, para a chegada em velocidade de Storaro. Kimmich não chegou a tempo e a Juventus empatava um jogo que parecia perdido. 

Os 15 minutos finais mostraram um clássico aberto. O Bayern sentiu o golpe e recuou, a Juve foi para cima e deu espaços para contra-ataques.  Qualquer um poderia vencer, mas o jogo ficou no 2 a 2.

FICHA TÉCNICA
JUVENTUS 2 X 2 BAYERN DE MUNIQUE
LIGA DOS CAMPEÕES - OITAVAS - JOGO DE IDA

LOCAL: Juventus Stadium, em Turim (ALE)
DATA/HORA: 23/2/2016 - 16H45MIN (de Brasília)
JUIZ: Martin Atkinson (ING)
AUXILIARES: Michael Mullarkey e Stephen Child (ING)
CARTÕES AMARELOS: Morata (JUV); Douglas Costa, Lewandowski e Vidal (BAY)
GOLS: Thomas Müller, 43'/1ºT (0-1), Robben, 9'/2ºT (0-2), Dybala, 18'/2ºT (1-2), Sturaro, 30'/2ºT (2-2)

JUVENTUS: Buffon; Lichtsteiner, Barzagli, Bonucci e Evra; Cuadrado, Khedira (Sturaro, 23/2ºT) , Marchisio e Pogba; Dybala (Morata, 29'/2ºT) e Mandzukic. TEC: Massimiliano Allegri

BAYERN: Neuer; Kimmich, Vidal e Alaba; Lahm, Thiago Alcântara, Thomas Müller e Bernat Benatia, 28'/2ºT ), Lewandowski e Douglas Costa (Ribéry, 38'/2ºT). TEC: Guardiola