José Maria Marin, ex-presidente da CBF (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

Algumas contas de José Maria Marin precisariam da assinatura de Del Nero  (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

RADAR / LANCE!
02/01/2016
17:08
Nova Iorque (EUA)

A fiança que permitiria ao ex-presidente da CBF, José Maria Marin, cumprir prisão domiciliar em Nova Iorque, teria ficado mais baixo. De acordo com o Blog do Juca, no UOL, o juiz americano Raymond Dearie estipulou em US$ 4 milhões (em torno de R$ 16 milhões) a quantia que o ex-dirigente teria de desembolsar às autoridades americanas.

A Justiça dos Estados Unidos definira inicialmente que Marin precisaria desembolsar US$ 15 milhões (em torno de R$ 60 milhões) para cumprir a pena em sua residência.

Dearie teria revogado a decisão inicial por acreditar que o ex-dirigente não tem condições de movimentar todas as suas contas bancárias. Aos olhos do juiz, algumas estão em conjunto com o presidente licenciado da CBF, Marco Polo Del Nero.