Atentado terrorista em Paris, jogo França x Alemanha

Torcedores foram para o campo após a partida entre França e Alemanha (foto:AFP PHOTO / FRANCK FIFE)

LANCE!
16/11/2015
11:39
Paris (FRA)

A decisão de manter o amistoso contra a Inglaterra, nesta terça-feira, em Wembley, não caiu bem para alguns jogadores da França. Segundo o "Le Parisien", eles foram consultados pelo presidente da Federação de Futebol local, Noël Le Graët. Isso porque a seleção foi diretamente afetada pelos atentados terroristas de sexta, pelo fato das explosões no Stade de France durante a vitória no amistoso contra a Alemanha por 2 a 0.

Segundo o jornal, alguns atletas não teriam condições de atuar pelos 'Bleus'. Nomes como Lassana Diarra perdeu a prima nos ataques e o atacante Griezmann viu a irmã sair ilesa do Bataclan, principal alvo dos terroristas.

Os jogadores teriam se irritado também com a falta de contato com os familiares depois dos atentados. Os treinos passaram a ser fechados. Um amigo de um jogador revelou o problema ao periódico francês.

- Todo mundo está tocado por esses terríveis atentados e nestes momentos se vive melhor quando está perto dos familiares. O ideal seria liberá-los por 24 horas ou permitir que os familiares fossem na concentração - disse a fonte.

Já Noël Le Graët disse ao "L'Equipe" a necessidade de a França entrar em campo contra a Inglaterra e foi contra o cancelamento da partida.

- Não tive dúvidas. Tínhamos que jogar. É importante para mostrar que a vida continua, que esta camiseta representa algo, que a França está de pé e será representada por seus atletas com orgulho. Entendo a emoção de cada um, mas a ideia é aceita por todos - finalizou.