Stamford Bridge (Chelsea)

Chelsea pode estar envolvido em escândalo no futebol inglês (Foto: Divulgação)

LANCE!
02/12/2016
17:31
Londres (ING)

Gary Johnson, ex-jogador do Chelsea, acusou o clube londrino de pagar 50 mil euros (cerca de R$ 185 mil) em 2015 para que ele não dissesse que foi abusado sexualmente no anos 70 por um ex-funcionário da equipe chamado Eddie Heath. 

Em entrevista ao jornal "Daily Mirror", Johnson, que na época tinha 13 anos e hoje está com 57, diz acreditar que o mesmo pode ter acontecido com outros garotos à época. Ele representou os Blues de 1978 a 1981.

- Eu acho que eles estavam me pagando para esconder isso. Milhões de fãs ao redor do mundo assistem ao Chelsea. Eles são um dos maiores e mais ricos clubes do mundo. Todos eles merecem saber a verdade sobre o que aconteceu. Eles devem ter pagado a outros pelo silêncio. Eu espero e rezo para que a nenhum clube seja permitido cobrir isso, ninguém deve escapar da justiça - afirmou Gary Johnson.

Nas últimas semanas, várias denúncias chegaram à polícia britânica e também tomaram as manchetes da imprensa do país. Tudo começou quando um grupo de sete ex-jogadores rompeu o silêncio e revelou que todos haviam sido abusados quando crianças.

- Nós precisamos de total transparência agora pelo bem do esporte. O que me deixa tão chateado é que fui até eles para dizer que havia sido abusado, e eles basicamente disseram: "prove". Eu me sinto envergonhado, sinto como se minha infância tivesse sido retirada de mim - lamentou.

Como resposta, o Chelsea anunciou, por meio de seu site oficial, que iniciou uma investigação interna para apurar os fatos.

- O Chelsea Football Club estabeleceu uma investigação que diz respeito a um funcionário específico do clube nos anos 70, que já faleceu. O clube também entrou em contato com a FA (Football Association) para assegurar que toda assistência possível será prestada à investigação da entidade. Isso inclui repassar à FA toda informação relevante que venha da investigação do clube - dizia o comunicado.