Leandro Salino em ação pelo Olympiacos contra o Bayern de Munique

Leandro Salino em ação pelo Olympiacos contra o Bayern de Munique (Foto: Olympiacos)

Eduardo Lucizano
01/01/2016
07:00
São Paulo (SP)

Esqueça de Ilíada ou Odisseia. A verdadeira epopeia grega nos últimos anos encanta mais do que as belas paisagens de Santorini, Mykonos e Creta. A história acontece no Campeonato Grego 2015/2016 e tem brasileiro envolvido.

Depois de 15 rodadas, ou seja, um turno inteiro do torneio, o Olympiacos segue imbatível em busca do hexacampeonato, o 43º da história. São 15 vitórias em 15 jogos, 100% de aproveitamento no torneio nacional.


- Nosso time mudou muito da temporada passada para esta. Temos o Cambiasso, um jogador inteligente, passa experiência para os mais jovens. Nosso técnico, Marco Silva, é novo, mas todos aceitaram o método dele e estamos com mais toque de bola, agressividade sem a bola. Os outros times gregos não esperavam isso, ele chegou e mudou a cara da equipe, conta o brasileiro Leandro Salino com exclusividade ao LANCE!

Para quem não se lembra, Salino se destacou pelo Ipatinga com Ney Franco e foi para o Flamengo, mas brilhou mesmo pelo Braga, em Portugal, antes de se mudar para o Olympiacos. Por lá, já ganhou duas vezes a liga nacional e compara a paixão dos gregos com a dos brasileiros.

- O estádio está sempre cheio, são fanáticos, não importa se está perdendo ou não, eles querem que a gente corra. É muita pressão, a torcida se compara com a de Flamengo e Corinthians. Eles cobram sempre a vitória, mas respeitam, dá para sair e jantar, sem problemas.

No clube desde 2013, Salino ainda não conseguiu marcar nenhum gol. A temporada até aqui parecer ser ideal para o brasileiro balançar as redes. São 41 gols marcados e oito sofridos, média de quase três gols feitos por jogo.

- Eu já tive muitas chances de marcar, tem de sair neste próximo ano, nem que seja com a mão.

Embora lidere com folga no Campeonato Grego, o Olympiacos foi eliminado da Liga dos Campeões, depois de cair no grupo que tinha Bayern de Munique e Arsenal. O clube terminou em terceiro, com a mesma pontuação dos ingleses, mas foi eliminado e vai jogar a Liga Europa.

- Nosso time é experiente, são se abala contra grandes equipes. No sorteio saímos com a chave mais difícil, mas dava para classificar. Saímos por culpa nossa, era uma vantagem larga, mais por culpa nossa do que mérito do Arsenal.

Depois de bater de frente com os gigantes Arsenal e Bayern de Munique, o objetivo do clube é ir o mais longe possível na Liga Europa e quem sabe conquistar o inédito título europeu para o Olympiacos e marcar o nome na história do clube.

- Estamos quebrando recordes, o máximo de jogos com vitórias já batemos, ganhamos do Arsenal em Londres, na Liga Europa temos de pensar jogo a jogo.

Com mais um título nacional a caminho, Salino sabe que ficará marcado na história do clube, assim como outros compatriotas que passaram por lá recentemente, como o meia Giovanni, ex-Santos, que jogou no clube de 1999 a 2005.

- O Rivaldo é bastante reconhecido, mas ídolo mesmo é o Giovanni. Ele que marcou, fazia muitos.