HOME - Gianni Infantino é o novo presidente da Fifa (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

Cartola é o novo manda-chuva do futebol (Foto: AFP)

Corriero dello Sport - Pool do LANCE!
26/02/2016
16:04

Gianni Infantino, 46 ​​anos, desde 2009 tem trabalhado como secretário-geral da UEFA e ontem tornou-se o novo presidente da FIFA. Advogado que passou a trabalhar no mundo do futebol com paixão, ele terá agora a tarefa de implementar um grande avanço na entidade. Será um grande desafio para este suíço com fortes laços italianos.

Seu pai vem na verdade de Reggio Calabria, a mãe do Val Camonica. Antes do nascimento de Gianni, os pais mudaram-se para trabalhar na Suíça, onde sua mãe ficou no comando de um quiosque e seu pai trabalhou na empresa ferroviária.  Diz-se que Infantino, para pagar seus estudos de Direito da Universidade de Freiburg, trabalhou em vários empregos menores. 

Formado, Gianni começou como consultor para as ligas de futebol na Suíça e para clubes clubes (por exemplo, defendeu o Sion em um recurso contra o Spartak Moscou na Copa UEFA e venceu). Mostrou competência e tinha carisma. depois, passou a trabalhar como secretário-geral do Cies, Centro Internacional de Estudos Esportivos, localizado em Neuchatel e patrocinados pela Fifa. 

Poliglota - é fluente em italiano, francês, alemão, Inglês e Espanhol e também tem algum conhecimento do árabe, pois sua esposa é libanesa - chegou à UEFA em 2000, fazendo consultorias. Em 2004, tornou-se chefe do departamento de assuntos legais. Em 2007 com a eleição de Michel Platini - ele apoiou o francês contra Lennart Johansson - tornou-se secretário-geral interino. Ficou assim até 2009, quando foi efetivado. Naquela época era o braço direito de Platini - e muito amigo, a ponto de o craque, entre outras coisas, ser o padrinho de uma de suas quatro filhas.

Embora nunca tenha renunciado as suas raízes italianas (tanto que comprou recentemente uma casa em Reggio Calabria) o novo presndete da Fifa vive feliz no cantão de Vuad, a poucos passos da sede da Uefa.

A ligação com Platini esfriou após a decisão de Infantino de disputar a presidência da Fifa, aproveitando o impedimento legal com a punição imposta ao Francês. Agora Infantino ocupa o lugar que Platini teria queria para si mesmo. A criatura supera o criador.