Mário Boechat
26/08/2016
16:02
Sharjah (EAU)

Ídolo! Assim era tratado o zagueiro Digão, ex-Fluminense, no Al-Hilal. O jogador era um dos principais nomes do time da Arábia Saudita, mas recentemente mudou de ares e vai jogar no Al-Sharjah, dos Emirados Árabes. A transferência girou em torno de 3 milhões de euros (R$ 11 milhões), a maior da história do clube.

- Não esperava que a transferência chegasse a esse valor, mas não fiquei surpreso. Fiz um bom trabalho no Al-Hilal, que é uma vitrine na Ásia. Sabia que isso poderia vir a acontecer, mesmo sendo um defensor - disse o zagueiro, ao LANCE!.

A idolatria de Digão no Al-Hilal é grande. A torcida queria a permanência do brasileiro, que tinha mais seis meses de contrato. Diversos memes e cartazes foram criados pelos fãs, como homenagem ao jogador.

- Foi difícil deixar o clube por tudo o que eu fiz lá, pelo carinho que a torcida tinha por mim e por minha família. Mas vida que segue, chegou uma proposta muito boa para os dois lados e chegamos a uma acordo. Não teve como recusar - afirmou o defensor.

Para Digão, uma proposta mais vantajosa pesou para o acerto com o Al-Sharjah. No entanto, a questão cultural também prevaleceu para deixar o Al-Hilal.

Digão e Thiago Neves (Foto: Divulgação)
Digão e Thiago Neves na época do Al-Hilal (Foto: Divulgação)

- O lado financeiro pesou e também o fato de ter uma vida social. A Arábia Saudita é um país muito difícil de viver por ser bem fechado e religioso. Mas mesmo com essa dificuldade, eu consegui ficar lá por dois anos.

Digão revelou ainda que teve sondagem de dois times brasileiros, mas que preferiu seguir no futebol do Oriente Médio.

- Tive sondagens de dois clubes brasileiros. Óbvio que balança pela vontade de estar perto da família e dos amigos, mas preciso pensar no futuro, pois sei que a carreira é curta e já estou com 28 anos.