Bruno Cassucci e Thiago Ferri
17/09/2016
17:14
São Paulo (SP)

A Gaviões da Fiel, torcida organizada do Corinthians, entrou em confronto com a Polícia Militar no intervalo do clássico contra o Palmeiras, neste sábado, na Arena, em Itaquera. Uma divisória de acrílico, que separa a arquibancada do setor Norte do gramado, foi quebrada. Não há relatos de feridos ou detidos.

A confusão começou após um policial retirar faixas com letras que formavam um mosaico escrito "Gaviões da Fiel". Desde abril as organizadas estão proibidas de entrar em estádios de São Paulo com bandeiras ou instrumentos que a identifiquem por determinação da Secretaria de Segurança Pública.


Revoltados, corintianos atiraram objetos e tentaram agredir policias, que estavam em menor número. Após alguns minutos, a confusão foi controlada.

No fim da partida, nova confusão no setor Norte, desta vez do outro lado, onde ficam membros da Estopim da Fiel. Torcedores tentaram invadir o camarote onde havia familiares de jogadores e funcionários do clube a foram contidos pela PM, que os agrediu com cassetetes.

Antes da bola rolar, na entrada das equipes em campo, membros da Gaviões também acenderam sinalizadores, artefatos proibidos pela CBF. Contudo, eles logo foram apagadas e não prejudicaram o início do Dérbi.

NA BRONCA
Ainda no fim do primeiro tempo, torcedores que estavam no setor Oeste Inferior se voltaram para o camarote onde estava a diretoria do Timão e xingaram o presidente do clube, Roberto de Andrade. O mandatário revidou com gestos obscenos, mas depois se desculpou:

- Eu queria pedir desculpas a alguns torcedores que estavam na área Vip Oeste e que se voltaram para a minha pessoa com reclamação. Alguns se exaltaram com gritos de “ladrão”. Aí eu me exaltei também. Coisas que a gente não deve fazer. O torcedor está insatisfeito. Eu, como torcedor e presidente, também estou. Não é do meu feitio fazer isso. Mais uma vez, desculpas - declarou.