Atentado terrorista em Paris, jogo França x Alemanha

Pânico tomou conta do Stade de France na última sexta-feira (foto:AFP PHOTO / FRANCK FIFE)

Leonardo Pereira
21/11/2015
07:45
Rio de Janeiro (RJ)

A França tenta cicatrizar algumas incômodas feridas uma semana após os ataques terroristas em pontos cruciais de Paris. Como está atrelado à
indústria do entretenimento, o futebol não passou incólume dos fundamentalistas. Uma bomba poderia ter explodido dentro do Stade de France e, durante a semana, dois amistosos foram cancelados na Europa (Alemanha x Holanda e Bélgica x Espanha).

O momento é de olhar para frente e tentar vencer o medo. No fim de semana, dez jogos embalam mais uma rodada da Ligue 1. Nesta sexta-feira, a bola rolou na vitória do Nice sobre o Lyon or 3 a 0.


Na última segunda-feira, a Uefa também tratou logo de confirmar a Eurocopa de 2016 na França, afastando a possibilidade de tirar o torneio do país.

O país, claro, vai se reerguendo. A luta é árdua. Mas o futebol quer dar um grande exemplo.

Mulher presta homenagem às vítimas dos atentados em Paris (Foto: AFP)
Mulher presta homenagem às vítimas dos atentados (Foto: AFP)


– É fácil perceber que as pessoas estão evitando andar em centros comercias e há o dobro de policiais nas ruas. Não havia clima na partida entre França e Inglaterra. Aquele jogo não deveria acontecer. Mas não podemos deixar com que o medo afete nosso cotidiano e o futebol - disse o zagueiro Hilton, campeão francês pelo Montpellier em 2011-2012.

No coração do país, Paris vive dias de incertezas, porém, ao mesmo tempo, o melhor momento do futebol da cidade, já que o PSG passou a brigar com os gigantes da Europa, sonhar com grandes craques e contar com investimentos bilionários.

Com a palavra: Amir Somoggi - Consultor em Marketing Esportivo e Gestão Esportiva

Inglaterra e França fazem amistoso após atentado em Paris
Inglaterra e França fazem amistoso após terror (Foto: ADRIAN DENNIS/AFP)



"A expectativa para os próximos meses e para a Eurocopa de 2016 é que haja um nível de segurança como nunca aconteceu. Investimentos de infraestrutura, de um treinamento mais intenso para lidar com situação de emergência como a de uma ameaça terrorista tendem a ser o foco dos franceses neste período. Isto também passará pelas medidas que o governo da França estabelecer, que pode mudar radicalmente a rotina em jogos das competições disputadas no país. Mas ter a imagem afetada drasticamente é pouco provável, haja visto que os Estados Unidos foram alvo de terroristas e mantêm um grande público em competições como a Major League Soccer.

Aos olhos do marketing esportivo, ações para destacar o lado positivo do esporte serão cruciais neste momento de união da população. O exemplo disto foi a comoção causada quando franceses e ingleses cantaram 'A Marselhesa' em Wembley"