Griezmann e Giroud - França x Irlanda

França, a anfitriã, chega com força nesta reta final de Eurocopa (Foto: Valery Hache / AFP)

RADAR/LANCE!
29/06/2016
18:01
Rio de Janeiro (RJ)

Sobraram oito. Nesta quinta-feira, a fase quartas de final da Eurocopa 2016, que acontece na França, começará a ser disputada. Entre favoritas ao título, azarões e surpresas, apenas quatro seguirão com o sonho da conquista após o confronto realizado no domingo.

O LANCE! ouviu Nuno Farinha, editor do Record (POR), Bertrand Blais, do L'Équipe, e Thiago Correia, editor do LANCE!, para saber quem são os favoritos nos confrontos entre Portugal e Polônia, França e Islândia, Alemanha e Itália, Bélgica e País de Gales. Confira as análises abaixo:

THIAGO CORREIA
​Polônia x Portugal - Confronto entre duas seleções com semelhanças. Não empolgaram na fase de grupos, e têm um jogador muito acima da média do resto dos times. A equipe das quinas vem de uma vitória empolgante, e o time parece com mais projeção para evoluir. Os poloneses dificilmente conseguirão render mais do que fizeram. E após os episódios recentes de Messi, Ronaldo deve estar ainda mais motivado para ser campeão e encaminhar mais uma Bola de Ouro.

País de Gales x Bélgica - Acredito em um jogo amarrado e com poucos gols, talvez uma vitória magra de alguém. Aposto na Bélgica pela maior qualidade individual. Gales tem dois belos jogadores (Bale e Ramsey) e um conjunto forte. Porém, os Red Devils sentem a necessidade de dar uma resposta por toda essa empolgação pela sua geração de ouro, e esta é a melhor oportunidade de ir longe em um torneio importante.

Alemanha x Itália - Não dá para tirar os méritos da Itália até aqui. Mostrou um time organizado, a cara do técnico Antonio Conte. Mas também é difícil não falar que a camisa pesada também está ajudando. O problema é que terá agora pela frente uma tão poderosa quanto a sua. Além disso, um time melhor, com grandes individualidades, um excelente conjunto, e em um momento mágico.

França x Islândia - No ano em que o Leicester foi campeão inglês, dá para acreditar em tudo no futebol. A Islândia já superou de longe o seu sonho e o seu objetivo, e joga solta. Isso pode ser perigoso para a França. Os Bleus estão com altos e baixos na Eurocopa, mas é uma seleção mais pronta que a inglesa, tem excelentes valores em todos os setores, é experiente, e joga em casa. A empolgação islandesa não deve ser suficiente.

NUNO FARINHA
​Há dois favoritos claros nas quartas de final: França e Bélgica. É verdade que a equipe anfitriã ainda não convenceu, mas teve sempre competência para fazer o que precisava de ser feito. Mesmo sem esse brilho exibicional, sente-se que, a qualquer momento, a seleção gaulesa vai explodir. Tem muitas soluções e, como se previa, Griezmann começa a ‘aquecer’. Não vai ser fácil pará-lo. E também não acredito que a Islândia consiga prolongar o seu milagre.

O jogo que gera mais expetativa, nesta fase, é claramente o Alemanha-Itália. A
seleção de Antonio Conte esteve brilhante frente a Espanha, mas agora a tarefa é ainda mais difícil. Do outro lado vão estar os campeões do Mundo, que vão crescendo de jogo para jogo. A máquina alemã tem aqui um teste muito interessante à sua capacidade. Até é possível que Neuer sofra neste jogo o seu primeiro gol na Eurocopa. Mas alguém acredita que Özil, Mário Gomez, Drexler e companhia também fiquem em branco?

No Bélgica-País de Gales aposto numa vitória clara para a seleção de Eden Hazard. A goleada (4-0) frente à Hungria, nos oitavos-de- final, provou que os “diabos vermelhos” estão no bom caminho. São, aliás, um sério candidato a chegar à final de Paris. 

O jogo mais equilibrado, quanto a mim, será o Portugal-Polónia. A seleção portuguesa apresenta mais qualidade do ponto de vista individual (Ronaldo, Renato Sanches, Nani, Quaresma e Pepe dão essa garantia), mas os polacos têm um coletivo muito forte. Em termos motivacionais, o momento é semelhante. Vencer um jogo na parte final do prolongamento (como aconteceu a Portugal) ou no desempate por grandes penalidades (como sucedeu com a Polónia) tem o mesmo efeito psicológico. Os detalhes farão a diferença.

BERTRAND BLAIS
​A Bélgica deve passar pelo País de Gales. Não tomou conhecimento das Hungria e ainda viu o Hazard deslanchar.  Os galeses, assim como a Islândia, já conseguiu um ótimo resultado na Euro. Agora o que vier é lucro.  Mas será um adversário perigoso, ainda mais com o Bale voando. Será um confronto interessante.

Portugal e Polônia é um jogo de prognóstico um pouco mais difícil. Os portugueses estão com a defesa em uma fase horrível, mas no aspecto individual leva vantagem. Por isso acredito que os lusos vão avançar para a semifinal neste confronto.

No jogo mais aguardado, a Alemanha tem um favoritismo óbvio devido ao conjunto muito bem entrosado. Eles pegaram facilidade nas oitavas e parecem ter encontrado seu time com o Mario Gomez no ataque, Gotze no banco, e Draxler entrou muito bem. Só que essa Itália está com uma defesa impossível (a base da Juventus) de ser vazada, só levando um gol quando atuaram com uma equipe mista.

Por fim a França vai passar da Islândia, que assim como o País de Gales já está no lucro. Os anfitriões não estão atuando de forma brilhante, mas devem passar sem muitos problemas. A questão são os jogadores suspensos para a partida, que pode afetar no entrosamento.