Cruzeiro x Sport - Marcelo Moreno (foto:divulgação)

Marcelo Moreno entre os torcedores do Cruzeiro no jogo contra o Sport, no Mineirão  (Foto: Reprodução/Premiere)

RADAR/LANCE!
19/11/2015
15:48
São Paulo (SP)

Atualmente no futebol chinês, pelo Changchun Yatai FC, o atacante Marcelo Moreno renunciou em setembro, deste ano, sua convocação para a seleção Boliviana, que disputa as Eliminatórias da América do Sul, para a copa do Mundo de 2018, na Rússia.

O atacante, com passagens pelo Cruzeiro em 2007/2008 e em 2014, por empréstimo e, flagrado entre os torcedores mineiros na vitória da Raposa contra o Sport, no domingo, contou que os atletas bolivianos tiveram um atrito com o treinador da seleção, Julio César Baldivieso.

- Eu sabia da responsabilidade e o que eu representava na seleção do meu país. Infelizmente, coisas acontecem. Depois do jogo contra a Argentina, o primeiro jogo do treinador, ele não conversou com o grupo e ao chegar na Bolívia ele falou algumas coisas que não deveria ter falado. Eu não levo nada para minha casa, estava me fazendo muito mal - disse Moreno em entrevista concedida ao SporTV, nesta quinta-feira.


O atleta ainda continuou - Ele (o treinador) fez comentários infelizes, criticando bastante a seleção e os jogadores. O capitão (Ronald Raldes) renunciou por causa disso e, eu também. Era meu sonho estar nessas eliminatórias e ir para o Mundial, mas agora não tem volta, enquanto ele estiver no comando os jogadores que renunciaram não vão voltar. Mas, estou torcendo pelos meus companheiros - revelou Moreno.

A Bolívia, oitavo colocado na tabela de classificação para a Copa do Mundo de 2018, faz uma campanha ruim nas eliminatórias. A seleção conquistou apenas uma vitória em quatro jogos disputados, empatando com o Peru, que também tem três pontos e a frente da Venezuela que ainda não pontuou.

Sobre sua presença no Mineirão, junto à torcida organizada do Cruzeiro, Moreno falou que ainda tem muito carinho pelo clube brasileiro e, aproveitou as férias para atender ao convite dos torcedores.

- Eu não tinha como recusar. A torcida já tinha feito o convite, quando eu cheguei em 2008, mas como tinha muitos jogos não conseguia ir. Dessa vez, estou de férias e recebi o convite do torcedor e pude ir. Foi muito marcante para mim - finalizou.