LANCE!
25/04/2016
11:32
Milão (ITA)

O brasileiro Felipe Melo é conhecido por seu estilo forte e aguerrido dentro de campo - às vezes até violento. Nesta segunda-feira, o volante da Inter de Milão afirmou que se não tivesse sido jogador de futebol, teria sido um 'assassino'.

- Se eu não fosse jogador, teria sido um assassino. Vivia em uma das favelas mais perigosas e ali havia drogas e armas. Deixei aquela vida para seguir meu sonho. Às vezes ia ao treinamento e, na volta, algum amigo meu estava morto. Tinha que dizer sim ao futebol ou a uma vida ruim. E disse sim ao futebol e a uma vida diferente - disse o brasileiro, à TV italiana "Sky Sport".

Felipe Melo também falou sobre a importância da família para o andamento da carreira.

- Quando conheci a minha esposa, nasceu outro Felipe Melo. No Grêmio, gastava todo o meu salário e levava uma vida estranha. Tive três filhos com ela e com a minha família eu conquistei tudo o que tenho agora. Depois de Deus, eles são as pessoas mais importantes. Dizem que atrás de um grande homem há uma grande mulher, eu digo que a mulher está sempre do lado.

O jogador contou também a dificuldade que tinha para ir aos treinos quando começou a carreira ainda garoto pelo Flamengo.

- Quando acertei com o Flamengo foi difícil, pois a princípio tinha que pegar um ônibus que demorava duas horas para chegar ao centro de treinamento. E também tinha que pagar o transporte. Meu pai, que tinha dois trabalhos quando eu era menino, deixou seu emprego e começou a me levar aos treinos. Às vezes, me dava um pouco do seu café da manhã. Quando tinha dez anos, era só um menino que queria jogar com os amigos e me perguntava porque tudo era tão difícil. Agora, dou muita importância a esses sacrifícios, pois me permitiram chegar até aqui - concluiu.

O volante foi titular na vitória da Inter de Milão sobre a Udinese por 3 a 1, no último sábado. A equipe do brasileiro está em quarto lugar, com 64 pontos.