RADAR/LANCE!
05/10/2016
11:50
Rio de Janeiro (RJ)

Dois dias após Vanderlei Luxemburgo ter afirmado que foi boicotado no futebol chinês, inclusive com jogos armados, um outro treinador brasileiro renomado apareceu para defender o esporte no país. E duras críticas foram ouvidas.

Nesta quarta-feira, Luiz Felipe Scolari, que comanda o Guangzhou Evergrande, desde junho de 2015, definiu as polêmicas palavras de Luxemburgo como "infundadas, absurdas e ridículas", além de revelar estar "chateadíssimo" com as declarações de Luxa.

- As palavras de Vanderlei são infundadas. Estou há mais de um ano aqui e nunca se ouviu falar de algum detalhe diferente do normal do que acontece e campo. Nós estamos chateadíssimos com este tipo de atitude dele. Acho que ele quis justificar a pressão sofrida por não ter dado certo no Tianjin Quanjian - disse Felipão, por telefone, ao canal "ESPN Brasil".

Luxemburgo e Geuvânio
Luxa ficou apenas seis meses no Tianjin Quanjian (Foto: Divulgação)

Na conversa, Felipão fez uma análise projetando as consequências das acusações de Luxemburgo, que foram ditas em no programa "Bem Amigos", da Sportv, na última segunda-feira:

- Começa a ter um pouco de preconceito com brasileiros até, disse. Alguns comentaristas já dizem que alguns brasileiros vêm com o intuito apenas de ganhar dinheiro e não fazer que o futebol chinês evolua. Infelizmente, podem fechar portas.

Por fim, Felipão garantiu que nunca presenciou algum tipo de corrupção no futebol chinês e, em seguida, enalteceu a qualidade de Luxemburgo como treinador: "É muito bom e não está ultrapassado".