Portugal x Polônia

(Foto: ANNE-CHRISTINE POUJOULAT / AFP)

RADAR/LANCE!
01/07/2016
12:31
Rio de Janeiro (RJ)

Portugal chamou a atenção até o momento na Eurocopa não apenas pelo fato de já ter assegurado um lugar entre as quatro melhores seleções do continente. Os lusos podem conseguir um feito ainda maior: conquistar o título inédito sem ter conquistado uma única vitória no tempo normal. Afinal de contas, foram quatro empates, um triunfo na prorrogação e outro nos pênaltis.

Pegando carona na atual campanha de Cristiano Ronaldo & Cia, o LANCE! relembra agora casos parecidos, onde uma seleção avançou e até mesmo chamou atenção em uma competição de renome não necessariamente por um desempenho de vitórias convincentes.

O caso mais parecido aconteceu na Copa América de 2011, realizada na Argentina. O Paraguai chegou até a decisão totalizando cinco empates, sendo três na fase de grupos, e outros dois nas quartas e semifinal, quando eliminou Brasil e Venezuela, respectivamente, nos pênaltis. Na final, contudo, foi goleado pelos uruguaios.

O México, na competição sul-americana de 1993, realizada no Equador, também avançou de fase após empatar dois jogos e perder outro. No mata-mata, contudo, venceu dois jogos e chegou na decisão com a Argentina, onde foi derrotada.

Em Copa do Mundo, a comparação mais próxima com o atual desempenho de Portugal nesta Euro é com a Irlanda do Mundial de 1990. Após avançar com três empates, eliminou a Rômenia nas oitavas após nova igualdade (ganhou nos pênaltis). Acabou caindo nas quartas para a Itália. O curioso é que na mesma chave dos irlandeses, a Holanda, então campeã europeia e uma das favoritas ao título, também avançou sem triunfos, mas caiu nas oitavas de final para a Alemanha, que viria a faturar o tri.

A Itália, contudo, pode ser a melhor fonte de inspiração para Portugal. Na Copa de 1982, realizada na Espanha, a Azzurra empatou os três primeiros jogos na fase de grupos. Muito criticada, caiu na sequência da compatição na chave com Argentina de Maradona e a Seleção Brasileira, de Zico, Socrates, Falcão e outros. Foi então, na hora decisiva, que a equipe comandada por Enzo Bearzot começou a vencer e faturou o tricampeonato.