presidente da Rússia, Vladimir Putin

Presidente da Rússia, Vladimir Putin já vem fazendo embargos à Turquia (Foto: ANDREJ ISAKOVIC/AFP)

LANCE!
30/11/2015
16:11
Moscou (RUS)

A crise diplomática entre Rússia e Turquia pode afetar o futebol russo. Isso porque o ministro do Esporte do país, Vitaly Mutko, revelou que o governo planeja proibir que os clubes locais contratem jogadores turcos na próxima janela de transferências, que ficará aberta em janeiro.

- Acho que se alguém tem planos de contratar um jogador turco na próxima janela de transferências, durante a pausa de inverno, não terá essa possibilidade. Tenho certeza que os clubes já entenderam essa mensagem - disse Mutko, que também é presidente da Federação Russa de Futebol, à agência de notícias "R-Sport".

Os problemas entre os dois países começaram na terça-feira, dia 24, quando a Turquia abateu um avião militar da Rússia, perto da fronteira com a Síria. Os turcos alegam que a aeronave teria cruzado o seu espaço aéreo sem autorização. Já os russos desmentem tal informação. Os dois pilotos conseguiram se ejetar do caça, mas foram pegos e mortos por rebeldes sírios.

O ministro disse ainda que os jogadores que já atuam por times russos não terão problemas. É o caso de Gokdeniz Karadeniz, que defende o Rubin Kazan desde 2008.

- Todos que já têm um contrato existente podem seguir trabalhando - afirmou.

Algumas equipes da Rússia, como Lokomotiv Moscou, Spartak Moscou, FC Krasnodar e Kuban Krasnodar, que participariam de eventos de inter-temporada na Turquia, já anunciaram que vão desistir da viagem.

O dirigente revelou que as empresas turcas que trabalham na construção de estádios para a Copa do Mundo de 2018 não terão os contratos encerrados.

- Elas não estarão aqui no futuro, mas no momento elas têm contrato, e eles seguirão valendo.

Essa é apenas uma das sanções da Rússia à Turquia. No sábado, o presidente Vladimir Putin validou um decreto que impõe uma série de penalizações ao país. Entre eles estão embargo a um conjunto de produtos turcos, proibição de prolongamento e renovação de contratos de trabalho de turcos na Rússia com efeitos a 1º de Janeiro de 2016, fim dos voos charter entre os dois países, proibição da venda de pacotes de viagens, por parte das agências russas, para a Turquia, readoção de vistos obrigatórios nas viagens entre os dois países e reforço do controle às operadoras aéreas turcas na Rússia por 'razões de segurança'.