Thiago Salata
04/01/2016
08:00
São Paulo (SP)

Nunca na história do torneio tantos campeões estiveram juntos em uma mesma edição de Copa Libertadores. Os 15 campeões presentes em 2016 já fazem com que os torcedores em toda a América esfreguem as mãos – terão ainda de esperar até o dia 3 de fevereiro, quando a primeira fase, em mata-mata, terá início.

São 33 taças já conquistadas pelos gigantes sul-americanos que dão peso ao torneio nesta temporada, divididas entre os argentinos Boca Juniors (6), River Plate (3), Racing (1) e San Lorenzo (1), os brasileiros São Paulo (3), Grêmio (2), Corinthians (1), Atlético-MG (1) e Palmeiras (1), os uruguaios Peñarol (5) e Nacional (3), o paraguaio Olimpia (3), o colombiano Atlético Nacional (1), o chileno Colo-Colo (1) e a equatoriana LDU (1).

A fase de grupos começa em 16 de fevereiro e termina em 21 abril, com jogos que já podem ser considerados imperdíveis. Logo na primeira rodada, o sempre temido e respeitado Boca Juniors irá à Colômbia encarar o Deportivo Cali, time que já foi vice duas vezes da Copa. A chance é grande de que no mesmo Grupo 3 esteja o Racing, que ainda tem de passar pelo Puebla na primeira fase. Ou seja, dois clássicos argentinos, em La Bombonera e no Cilindro, em Avellaneda, já estão à vista.

O outro campeão que ainda precisa passar por um mata-mata é o São Paulo, adversário do peruano Cesar Vallejo. A semifinal da Libertadores de 2005, então, deve ser reeditada no Grupo 1, entre Tricolor e River Plate.

Os grupos 2 e 6, de Palmeiras e Grêmio, respectivamente, não terão respiro. Todos os jogos são grandes. Caso a Universidad de Chile confirme o favoritismo contra o River (URU) na primeira fase, os chilenos irão receber o Verdão já na primeira rodada, a mesma que terá Rosario x Nacional. Argentinos e uruguaios serão, na sequência, os dois rivais do Palmeiras no Allianz Parque, que estará lotado no retorno do Alviverde à maior competição da América do Sul após três anos.

O Grêmio fará jogos duríssimos contra Toluca (estreia, fora), San Lorenzo e LDU. Atlético-MG x Colo-Colo, no Grupo 5, é outra partida que já está na agenda de quem gosta de futebol, assim como Corinthians x Cerro Porteño no Grupo 8, o mesmo que deve ter o colombiano Independiente Santa Fé, atual campeão da Copa Sul-Americana – não deve ser um adversário fácil para o Timão.

Peñarol x Atlético Nacional é o principal duelo do Grupo 4, em mais um confronto de campeões. Olimpia, ao lado de Emelec, Deportivo Táchira e Pumas, está no Grupo 7, o menos carismático, digamos assim.

É cedo para grandes análises dos concorrentes estrangeiros dos brasileiros. Levamos muito mais em conta camisa e tradição, que sempre devem ser consideradas, do que a força dos atuais elencos. O River Plate enfraqueceu-se, mas é o atual campeão continental e mostrou em 2015 que não pode ser subestimado jamais. O Boca tem se fortalecido e é o campeão argentino. Este último, com qualquer time, é sempre favorito quando falamos de Copa Libertadores. San Lorenzo e Rosario foram vices de campeonato e copa, respectivamente, na Argentina.

O Nacional é o último campeão uruguaio. Merece respeito. Surpresas vão surgir como de costume. E que os brasileiros não caiam na cilada da soberba, que muitas vezes já foi a responsável por fracassos no torneio – o Corinthians pagou caro por isso contra o paraguaio Guaraní na edição do ano passado.

Apenas dois times estarão na grande final, marcada para 27 de julho. Brasileiros ficaram fora em 2014 a 2015, anos de conquistas argentinas. É o maior período sem clubes do Brasil na final desde o fim do anos 80, quando, entre 1985 e 91, nenhum brasileiro conseguiu sequer chegar à decisão da competição.

COLOQUE NA AGENDA:

16/2 e 14/4 - River (URU)/U. de Chile x Palmeiras
17/2 e 19/4 - Toluca (MEX) x Grêmio - Toluca
23/2 e 19/4 - LDU (EQU) x San Lorenzo (ARG) 
24/2 e 20/4 - Deportivo Cali (COL) x Boca Juniors (ARG) 
25/2 e 14/4 - Rosario Central (ARG) x Nacional (URU) 
2/3 e 7/4 - Nacional (URU) x River (URU)/U. de Chile
2/3 e 12/4 - San Lorenzo (ARG) x Toluca (MEX)
2/3 e 13/4 - Grêmio x LDU (EQU)
2/3 e 13/4 - Corinthians x Oriente Petrolero/Independiente Santa Fe
3/3 e 13/4 - Boca Juniors (ARG) x Racing (ARG)/Puebla (MEX)
3/3 e 6/4 - Palmeiras x Rosario Central (ARG)
​8/3 e 15/3 - Atlético Nacional (COL) x Peñarol (URU)
9/3 e 17/3 - Rosario Central (ARG) x River (URU)/U. de Chile
9/3 e 16/3 - Cerro Porteño (PAR) x Corinthians
9/3 e 17/3 - Palmeiras x Nacional (URU)
9/3 e 15/3 - Grêmio x San Lorenzo (ARG)
10/3 e 13/4 - River Plate (ARG) x São Paulo/Cesar Vallejo (PER)
10/3 e 5/4 - LDU (EQU) x Toluca (MEX)
10/3 e 7/4 - Bolivar x Boca Juniors
10/3 e 16/3 - Colo-Colo (CHI) x Atlético-MG