LANCE!
15/05/2016
14:57
Lisboa (POR)

O Benfica confirmou todo o favoritismo e bateu, com facilidade, o Nacional, conquistando o tricampeonato português. Neste domingo, os Encarnardos contaram com excelente atuação de Gaitán e o oportunismo de Jonas para fazer 4 a 1, para delírio da torcida que lotou o Estádio da Luz. Nem a vitória do Sporting sobre o Braga, por 4 a 0, atrapalhou os planos.

O título foi o prêmio para o time mais regular de toda a temporada, que somou o maior número de vitórias (29) e marcou mais gols (88). 

Jonas e Gaitan - Benfica x Nacional
Jonas deixou o dele na goleada (Foto: José Manuel Ribeiro / AFP)

E a conquista esteve longe de ser fácil. Em grande parte do campeonato, o Benfica ficou atrás dos rivais. Nas primeiras oito rodadas, por exemplo, os lisboetas perderam três das quatro partidas que saíram derrotados em todo o torneio. No entanto, na reta final, ninguém chegou perto dos Encarnados, que venceram 12 jogos seguidos.

No fim, o Benfica ficou com 88 pontos, contra 86 do Sporting e 73 do Porto. Além do troféu, Jonas terminou como artilheiro, com 32 gols marcados.

O JOGO


O Benfica começou a partida um pouco nervoso, ciente da responsabilidade que tinha diante do Nacional. A primeira chance foi dos visitantes, o que mostra a tensão nos jogadores da equipe da capital portuguesa. Mas os Encarnados colocaram a bola no chão e foram para cima, passando a dominar completamente a partida.

Com um time amplamente superior em termos técnicos e táticos, o Benfica abriu o placar. Após lançamento, o goleiro Gottardi saiu nos pés de Mitroglou, mas a bola sobrou para Gaitán marcar. O argentino quase ficou fora da partida, uma vez que só foi confirmado entre os titulares em um teste antes do duelo. 

Artilheiro do Campeonato Português, Jonas incomodava a defesa do Nacional. Depois de jogada pela esquerda, ele perdeu chance cara a cara com o goleiro, chutando para fora. Mas o atacante se redimiu em grande estilo. Em lançamento primoroso de Gaitán, Jonas recebeu e guardou. Foi o 32º gol do camisa 17.

Na segunda etapa, o Benfica seguiu o ritmo de sua torcida, que lotou o Estádio da Luz. Bons toques de bola, colocando o Nacional na roda. E o terceiro era questão de tempo. Aos 20 minutos, Jonas fez boa jogada pela direita e cruzou para Mitroglou. O atacante grego perdeu gol feito e mandou na trave. No rebote, Gaitán, oportunista, marcou.

A essa altura, o título já era certo. O Nacional até esboçou uma pequena reação, fazendo o goleiro Ederson trabalhar. Por outro lado, o Benfica também teve chance de ampliar o marcador. O que se ouvia eram aplausos e a festa da torcida. Em uníssono, os fãs foram ao êxtase quando Jonas cruzou na medida para Pizzi fazer o quarto. Um lindo gol do português, que pegou de primeira.

Nem o gol de Agra, nos acréscimos, tirou a festa do Benfica, que conquista o tricampeonato do Campeonato Português. Na história, são 35 títulos no torneio nacional.

SPORTING FAZ A SUA PARTE


O Sporting tinha uma missão bem complicada. Além de torcer pelo tropeço do Benfica, os Leões precisavam bater o Braga, fora de casa. E conseguiram até com certa facilidade: 4 a 0 .

Slimani - Braga x Sporting
Slimani marcou, mas foi insuficiente (Foto: Miguel Riopa / AFP)

No primeiro tempo, Téo Gutiérrez marcou o primeiro do Sporting. A situação ficou ainda mais tranquila quando Arghus foi expulso. Com um a mais, Slimani fez o segundo.

Na volta do intervalo, o show ficou por conta de Bryan Ruiz. O costarriquenho fez dois gols, sacramentando a goleada do time lisboeta. Mas não foi suficiente para a conquista do Campeonato Português.