Mário Boechat
01/04/2016
08:00
Madri (ESP)

A chegada de Casemiro ao Real Madrid foi cercada de expectativas e surpresas. Isso porque ele foi contratado por um dos maiores clubes do mundo e, ao mesmo tempo, sem ser titular absoluto do São Paulo, equipe que o revelou para o futebol. Logo que chegou à capital espanhola, o volante passou uma temporada no Real Castilla. Em entrevista ao LANCE!, o brasileiro revelou que passar um ano no time B foi fundamental para entender a cultura do clube e mostrar um bom futebol.

- Encarei essa experiência como um grande desafio e uma ótima chance de mostrar meu potencial para o clube. Procurei fazer o meu melhor no dia a dia, nos treinos, nos jogos, e em poucos dias eu já comecei a receber oportunidades de treinar com o time principal. Foi um período muito positivo e proveitoso, pois fui muito bem recebido por todos no clube, tanto no Real Madrid Castilla quanto no time principal, e isso foi fundamental para a minha rápida adaptação ao futebol europeu e à cultura europeia. Em pouco tempo, eu já me sentia em casa - disse.


PASSAGEM IMPORTANTE PELO PORTO

A conquista da Liga dos Campeões não rendeu a permanência no grupo principal do Real Madrid. Pelo contrário, Casemiro foi emprestado ao Porto. Nada que tirasse a confiança do jogador.

- Eu sempre acreditei que voltaria ao Real Madrid. O empréstimo para o Porto foi uma escolha minha, já que naquele momento eu achava que precisava de mais minutos em campo. Recebi algumas propostas logo depois que conquistamos a Liga dos Campeões em 2014, e a oferta do Porto foi a que mais me atraiu. O treinador Julen Lopetegui, que é espanhol, disse que queria muito contar com meu futebol, apostou em mim, e isso me deixou confiante e motivado a aceitar esse desafio - revelou o brasileiro.

Após a experiência na equipe B, Casemiro foi logo aproveitado no elenco principal do Real Madrid. Na temporada 2013/14, o volante participou da décima conquista da Liga dos Campeões, após vencer o Atlético de Madrid na final. Segundo o brasileiro, a competição tem realmente uma áurea diferente das demais.

- Jogar a Liga dos Campeões é sempre especial. É o maior torneio de clubes do mundo, no qual estão reunidos os principais times da Europa, os melhores jogadores... Tem, realmente, uma mística diferente em torno dele. Joguei seis partidas daquela campanha de 2013/2014, atuei nas oitavas, nas quartas e nas semifinais. Ganhar o título, ainda mais sendo a décima conquista do Real Madrid, que era tão desejada pela torcida, foi sensacional. Foi um momento histórico para o Real Madrid, e eu fiz parte dessa história. É algo inesquecível.

A passagem pelo Porto foi especial, segundo Casemiro. As boas atuações logo lhe renderam um lugar entre os titulares com o técnico Julen Lopetegui. Mas o Real Madrid seguia de olho no brasileiro e acompanhava de perto sua evolução tática na Europa. Tanto que, ao fim da temporada 2014/2015, os Merengues ativaram a cláusula de recompra, o que fez com que o volante voltasse ao Santiago Bernabéu.

- Sempre vou lembrar da passagem pelo Porto com muito carinho. Conheci um grande clube, com uma estrutura excelente e uma torcida apaixonada. Chegamos às quartas de final da Liga dos Campeões apresentando um bom futebol, com um time muito bem montado, e isso ajudou a dar projeção a todos os jogadores. Eu consegui ter uma sequência grande de jogos e aprendi bastante com o Lopetegui, que é um ótimo treinador.

Rúben Neves - Porto (Foto: AFP)
Rúben Neves é o sucessor de Casemiro no Porto (Foto: AFP)

Apesar de ter voltado ao Real Madrid, Casemiro deixou um sucessor em Portugal. O jovem Rúben Neves, de apenas 19 anos, assumiu o seu lugar e chegou a envergar a braçadeira de capitão do Porto em um jogo da Liga dos Campeões. O brasileiro foi só elogios à promessa.

- O Rúben tem um futuro muito promissor. É um jovem criado no clube e todos apostam muito nele. Acredito que ele tem, sim, potencial para se firmar como um grande jogador não só para o Porto, mas também para a seleção de Portugal.