Gabriel Carneiro
11/08/2016
06:00
São Paulo (SP)

O Santos bem que tentou convencer: renovação contratual, aumento de salário, repasse de direitos econômicos, promoção imediata ao elenco profissional... Nenhum argumento utilizado pelo clube foi suficiente para convencer Caio Henrique, de 19 anos, a recusar a proposta do Atlético de Madrid e ficar no Brasil para se profissionalizar na Vila Belmiro. A história do menino na Vila durou sete temporadas, mas chegou ao fim sem nenhum jogo no time principal. Destino? Vicente Calderón.

Badalado na base do Peixe, Caio chegou ao Atleti em fevereiro deste ano, após negócio conduzido por seus empresários: Falcão (o do futsal) e Deco (que trabalha com o português Jorge Mendes). O desembarque na capital espanhola foi duro - especialmente pelo frio de -1°C - mas o garoto fez bonito nas categorias inferiores e recebeu uma notícia animadora neste início de temporada européia.

- Quando me contaram (que subiria aos profissionais) eu fiquei muito feliz, porque é uma grande oportunidade para mim. Não só mostrar meu futebol, como aprender também - diz, ao LANCE!, o brasileiro de 19 anos que virou nova aposta de Diego Simeone no Atlético de Madrid.

Caio Henrique, que atua como volante ou meia pela direita, foi um dos 25 jogadores que se apresentou ao elenco do Atleti no início de julho, e depois passou a treinar com nomes badalados, como Felipe Luis, Godin, Koke, Gaitán, Griezmann, e outras estrelas. Ao todo, o grupo tem 35 atletas, e por isso o jovem brasileiro deve demorar a receber sua chance. Não que isso importe tanto assim.

- No meu terceiro dia de clube eu subi para treinar com o profissional e fiquei meio assustado quando me deparei com o Simeone e todos os jogadores. Só via eles pela televisão, e agora estava ali treinando junto. Mas não demorei a perceber que ele (o treinador) é um cara que traz os jogadores para o lado dele, tenta tirar o melhor de cada um. A maior coisa que aprendi até agora é que o pensamento dele é só um: vencer - diz Caio, que ainda completou.

Santos vendeu Caio Henrique ao Atlético de Madrid por 400 mil euros (R$ 1,8 milhão, na cotação de fevereiro deste ano), e ainda terá direito a 5% em uma transferência futura. Bom negócio do Peixe?

- Ele transmite essa mentalidade nos treinamentos mesmo. Cada bola disputada tem que ser ganha, a gente não pode se conformar de jeito nenhum com a derrota. Eu aprendo demais a cada dia.

O aprendizado não se resume ao campo, não. O garoto brasileiro ainda está encantado com a cultura da cidade de Madri, e se tornou um exímio jogador de padel. "Aqui todo mundo joga", brincou, diante da ignorância do repórter sobre o esporte. No padel a bolinha e a quadra são iguais às do tênis que conhecemos, com a única diferença de que há uma parede no fundo e nas laterais. É justamente a interação com as paredes que dá o dinamismo e razão de ser do esporte.

Em campo, Caio Henrique foi campeão da Copa do Rei sub-19 diante do Real Madrid, e pelas boas atuações nas categorias de base é que foi promovido ao elenco profissional do Atlético. A princípio ele atuará pela equipe B, que joga a Terceira Divisão da Espanha, mas estará sempre disponível para a equipe principal, que disputa as grandes competições nacionais e internacionais. Seus objetivos não são modestos.

- Atuei sete anos nas categorias de base do Santos, então tenho um estilo de jogo técnico. Vim aqui para a Espanha e o futebol é mais intenso, os treinamentos prezam pela intensidade, um jogo mais rápido, mais físico. Acho que se eu conseguir juntar a preparação física da Espanha com a técnica brasileira pode ser uma ótima combinação - sonha o garoto.

O Menino da Vila ganhou asas. Aupa Atleti!

CLUBE ESPANHOL DESEJA NOVO CONTRATO

Caio Henrique, jogador do Atlético de Madrid (Foto: Divulgação)
Caio Henrique tem 19 anos e já irá renovar (Foto: Divulgação)

Apenas seis meses após a assinatura de contrato com o Atlético de Madrid, Caio já se prepara para estender o vínculo nos próximos dias. Elogiado na pré-temporada, o jogador recebeu proposta de renovação por seis anos com o clube espanhol, com reajuste salarial e nova multa (de 30 milhões de euros – 750 vezes o que o Santos recebeu), com validade até o término da temporada europeia de 2022. O acordo anterior tinha bases e multa inferiores e duração de cinco temporadas. Deco e o português Jorge Mendes irão a Madri fechar contrato, e há expectativa de resolução nesta quinta-feira.