Barcelona x Granada

Barcelona x Granada (Foto: AFP)

Alfredo Relaño *
14/05/2016
19:45
Madri (ESP)

O Barcelona ganhou o Campeonato Espanhol duas vezes. O clube chegou a se distanciar muito, ficou sem vencer quatro partidas, em que somou apenas um ponto em 12, e logo se recuperou aguentando as investidas de Atlético de Madrid e Real Madrid - este último lutou até o fim. Ganhou porque foi melhor. A pontuação final não engana. A Liga é jogada nas quatro estações, com sol, chuva, frio, calor, grama alta ou baixa, antes ou depois do "vírus Fifa", com pênaltis não apitados ou pênaltis "doados". No final, apenas um comemora.

Foi uma tarde emocionante... até o segundo gol de Luis Suárez. Ele tem sido o homem deste campeonato e o fechou com um hat-trick, totalizando 40 gols. Atrás dele, Messi, que mudou definitivamente seu jogo. O elétrico, incontrolável e matador, recuou alguns metros e joga com mais liberdade criativa, achando passes com precisão. Neymar começou bem e assim terminou, depois de uma notável queda sentida pela equipe. O resto é o Barça. Um grande campeão em um campeonato que tem os dois finalistas da Liga dos Campeões e um da Liga Europa (Sevilla). É a melhor liga do mundo, na verdade. 

O Real Madrid confiou o seu ano a Rafael Benítez. A derrota de 4 a 0 para o Barcelona, no primeiro turno (um empate neste dia bastava para o Real ser campeão hoje), fez o técnico espanhol balançar no cargo. Finalmente, ele caiu e, após ver que José Mourinho não "colava", o presidente dos merengues, Florentino Pérez, escolheu Zinedine Zidane, que fez o oposto de Benítez: blindou o vestiário e ignorou os caprichos de Florentino. Duas trocas (Carvajal e Casemiro), mas muito significativas. Não chegou ao título, mas brigou valentemente até o fim. Agora, estará em Milão para a final contra o rival Atlético. "Queda rabo por desollar".

Alfredo Relaño é colunista do diário "As"