Oscar - Chegada na China

Oscar foi para a China por 60 milhões de euros (Foto: Reprodução: sina.com)

LANCE!
05/01/2017
16:28
Pequim (CHI)

Um porta-voz da autoridade esportiva da China declarou nesta quinta-feira que os clubes de futebol locais precisam estabelecer um limite para os salários dos jogadores e começar a desenvolver o talento dos atletas. A pessoa não quis se identificar e disse isso em entrevista à imprensa estatalm, segundo a agência de notícias Xinhua.

O canal também critica o alto investimento em jogadores internacionais, que acaba causando negligência na hora de desenvolver os atletas do país. Um porta-voz não identificado da Administração Geral Esportiva da China declarou que é preciso criar novas medidas para encorajar isso.

- Estabelecer um limite de gastos com a aquisição de jogadores e para salários de jogadores... e conduzir pesquisa para a utilização de parte dos gastos dos clubes com contratações de alto custo para criar um fundo de desenvolvimento futebolístico a ser usado no treinamento de jovens - disse o porta-voz à agência em declarações reproduzidas pela Reuters.

O porta-voz sugeriu ainda que autoridades podem mudar a distribuição dos pontos a cada jogo para encorajar os nativos a terem maior protagonismo. Ele não deu detalhes de como isso poderia funcionar. Além disso, a pessoa também afirmou que, para ajudar a cultivar clubes centenários, a China precisa supervisionar as equipes financeiramente, removendo aqueles que não cumprirem as regras.

Os clubes chineses já protagonizaram quatro das dez maiores contratações do atual mercado. O brasileiro Oscar lidera a lista, vendido por € 60 milhões para o Shanghai SIPG. Witsel está em quarto (€ 20 milhões para o Tianjin Quanjian), Kyung-Won Kwon (€ 10,5 milhões para o Tianjing Quanjian) e Carlos Tévez em décimo (€ 10,5 milhões para o Shanghai Shenhua).