Bayern de Munique - Guardiola

Guardiola no último jogo do Bayern de Munique no Campeonato Alemão (Foto: Christof Stache / AFP)

LANCE!
20/05/2016
19:59
Munique (ALE)

Chegou a hora de Pep Guardiola se despedir do Bayern de Munique. No entanto, antes de fazer as malas e pegar o voo para Manchester, o técnico terá a missão de levar o time bávaro ao título da Copa da Alemanha (DFB-Pokal), neste sábado, às 15h (horário de Brasília), no Estádio Olímpico de Berlim, contra o Borussia Dortmund, o grande rival do comandante catalão nos últimos três anos.

Se vencer, Guardiola deixará na galeria de títulos do Bayern de Munique duas Copas da Alemanha e três Salvas de Prata da Bundesliga.  Ele também ganhou o Mundial de Clubes e uma Supercopa da Europa, mas disputou as duas competições graças ao trabalho do antecessor Jupp Heynckes, dono de uma tríplice coroa em 2012-13.

No momento da partida, o catalão dirá “auf Wiedersehen” (“adeus”) sem nenhuma Liga dos Campeões da Europa. Foram três quedas na semifinais. Todos em casa e para times espanhóis (Real Madrid, Barcelona e Atlético de Madrid).

Os fracassos deixaram cicatrizes imensas no técnico. De unanimidade, Pep passou a ser contestado e cornetado pela imprensa, diretores e ídolos do Bayern de Munique. Na fase mais difícil, também  bateu de frente com o departamento médico e contribuiu para a demissão de um dos funcionários mais antigos do clube, o doutor Hans-Wilhelm Müller-Wohlfahrt.

Como legado, Guardiola deixa uma gama de variações táticas, muita posse de bola e um estilo vanguardista de pensar o futebol.

– Guardiola quer se despedir não só com um título, como também com uma vitória sobre um grande time alemão. Apreciamos muito sua passagem pelo país – destacou o diretor executivo do Bayern de Munique, Karl-Heinz Rummenigge.

Hummels também se despede

Com estado emocional semelhante ao de Guardiola, o zagueiro Hummels fará a última partida pelo Borussia Dortmund. O defensor será jogador do Bayern de Munique assim que o juiz apontar para o centro do campo e dar por encerrado a decisão da Copa da Alemanha.

– Sei que haverá uma pressão grande contra mim. Posso ser crucificado pela torcida do Borussia Dortmund a cada erro, portanto, não posso cometê-los. Tenho que honrar a camisa aurinegra pela última vez – disse o jogador, campeão do mundo pela seleção alemã.