Saul Niguez - Atletico de Madrid x Bayern de Munique

Garoto Saúl faz um golaço e coloca o Atlético um pouco mais perto da final da Champions (Foto: Divulgação)

LEONARDO PEREIRA
27/04/2016
17:36
Madri (ESP)

No Vicente Calderón, 11 jogadores vestiram fardas alvirrubras e foram para a briga. Antes do jogo de ida da semifinal da Liga dos Campeões, o General Diego Simeone afirmou que o vencedor de uma guerra será aquele que souber utilizar melhor os soldados. O argentino não precisará escrever um tratado sobre o assunto. O técnico tinha à disposição Saúl, recruta de apenas 21 anos que decidiu o primeiro confronto contra o Bayern de Munique por 1 a 0, nesta quarta-feira, em Madri.

Na próxima terça-feira, o palco do conflito será a Allianz Arena. O Atlético estará na segunda final da Champions em dois anos com apenas um empate ou até derrotas por um gol de diferença desde que balance as redes rivais.

O Atlético de Madrid começou a montar as trincheiras desde cedo. O inimigo, mais poderoso, não queria pisar em dinamites. O exército colchonero, então, tomou a iniciativa do combate. Aos 11 minutos, o destemido Saúl passou por dois marcadores e disparou no canto de Neuer. Investida perfeita da tropa rojiblanca para deixar o adversário sem ação.

O Bayern de Munique, com apenas dois alemães entre os titulares, tentou fazer uso de sua melhor arma: a bola nos pés. No entanto, o território era tão hostil que os quase 70% de posse não surtiram quase nenhum efeito. os bávaros pouco assustaram nas jogadas aéreas. Lewandowski estava sem espaço para concluir diante do goleiro Oblak. O meio de campo neutralizado. E a defesa dando brechas para um contra-ataque espanhol.

Lewandowski - Atletico de Madrid x Bayern de Munique
Lewandowski foi anulado pela defesa colchonera (Foto: Divulgação)

A sorte também conta em um embate tão parelho. No início do segundo tempo, Alaba soltou uma bomba que atingiu a trave da cidadela colchonera. No lance seguinte, Javi Martínez obrigou Oblak a salvar a pátria do Atlético de Madrid. O Bayern de Munique começava a segunda etapa em uma verdadeira blitz.

O time do Marechal Guardiola testou a grande característica do Atlético nas últimas temporadas. Saber se defender e sair para um ataque mortal. Fernando Torres teve a chance de fazer o segundo, mas parou na trave de Neuer.

Estrategista, Simeone deixou as alterações para os minutos finais. Cada detalhe foi minimamente estudado pelo comandante. A vitória veio com tensão, bem ao estilo do Atlético. Em uma guerra, nada é tão simples como parece. Correr risco é preciso!

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO DE MADRID 1 x 0 BAYERN DE MUNIQUE


Local: Vicente Calderón, em Madri (ESP)
Data e hora: 27 de abril de 2016, às 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Mark Clattenburg (ING)
Auxiliares: Simon Beck (ING) e Jake Collin (ING)
Cartão Amarelo: Saúl (ATL); Douglas Costa, Neuer, Benatia e Vidal (BAY)
Cartão Vermelho: - 
Gols: Saúl, 11'/1ºT (1-0)

ATLÉTICO DE MADRID: Oblak, Juanfran, Giménez, Savic e Filipe Luís; Gabi, Augusto Fernández, Koke e Saúl (Thomaz, 39'/2ºT); Griezmann e Fernando Torres. Técnico: Diego Simeone.

BAYERN DE MUNIQUE: Neuer, Lahm, Alaba, Javi Martínez e Bernat (Benatia, 31'/2ºT); Xabi Alonso, Vidal, Thiago Alcântara (Müller, 24'/2ºT), Coman (Ribéry, 18'/2ºT) e Douglas Costa; Lewandowski. Técnico: Pep Guardiola.