(Foto: /AFP)

Carrasco recebe o abraço de Godín após marcar o gol do Atlético. Ribéry apenas lamenta (Foto: JAVIER SORIANO/AFP)

RADAR/LANCE!
28/09/2016
17:55
Madri (ESP)

Espanha e Bayern não combinam. Nesta quarta-feira, o time alemão amargou a sua décima derrota nos últimos 14 confrontos que realizou no país.  E, assim como ocorreu na semifinal da Liga dos Campeões 2015-16, o algoz voltou a ser o Atlético de Madrid, que venceu por 1 a 0, gol de Carrasco, e impôs a primeira derrota aos alemães nesta temporada. De quebra, o Atlético assumiu a liderança isolada do Grupo D da Liga dos Campeões, com seis pontos.  O Bayern está em segundo lugar, com três. Os russos do Rostov e os holandeses do PSV (que empataram em 2 a 2) vêm a seguir com um ponto, cada.  

Mais do que a vitória, encheu os olhos a eficácia tática  e a eficiência do Atlético.  O time espanhol deu uma aula de como ser superior mesmo sem ter a bola. Para se ter ideia, o Bayern e seu estilo de toque fechou o jogo com 63% de posse e mais do que o dobro de passes (679 a 332).  Só que o Atlético mereceu não apenas a vitória como um placar bem mais dilatado. Sua marcação foi notável. E se o rival, mesmo alugando a bola, teve apenas duas chances de perigo, o time espanhol fez um gol, perdeu um pênalti (com Griezmann, já no fim) e criou inúmeras  oportunidades com Carrasco e Fernando Torres.

O JOGO

O Bayern teve muito volume no início do jogo chegou a ter uma chance e tanto de gol num chute de Thomas Müller que Oblak defendeu por puro reflexo.  Só que o Atlético, marcando muito, evitando as finalizações e com velocidade e objetividade quando atacou, quase marcou num chute cruzado de Carrasco, depois viu Fernando Torres perder um gol quase em cima da linha e sem goleiro ao cabecear na trave (um escanteio que Lewandowski rechaçou mal e deu um passe para Torres vacilar) e depois outro ao dominar livre pela esquerda e chutar para fora.

Enfim, aos 35 minutos, Carrasco recebeu pela esquerda e chutou rasteiro. A bola ainda bateu na trave à esquerda de Neuer antes de entrar.  Atlético 1 a 0.

No segundo tempo o panorama não mudou.  Bayern em cima e não conseguindo nada. Com isso, entre os 13 e 20 minutos, Ancelotti fez três mudanças para deixar o time com outra cara, entrando com Robben e Kimmich na frente além de entrar com Hummels na zaga no lugar de Boateng, ainda um pouco lento após a recuperação da lesão.  

Bem postado e marcando a partir do terço final de seu campo, o Atlético seguiu induzindo o Bayern ao erro e assustando nos contra-ataques. Aos 37 - já sem Torres, que saiu ovacionado pela torcida do Atlético -  Filipe Luís recebeu na área e sofreu um pênalti de Vidal, que chegou atabalhoadamente no lance. Griezmann cobrou e perdeu.  O 2 a 0 faria muito mais justiça.

O Bayern manteve-se no ataque. Mas não tinha como furar o bloqueio do Atlético. O jogo terminou com 50 minutos. Se tivesse mais 50, não teria outro vencedor. A bola foi do Bayern. Mas a aula foi de um time que venceu 26 de seus últimos 30 jogos em seus domínios. Muitas vezes deixando o adversário jogar e pensar que está dominando. Ledo engano.


Em Moscou

Rostov e PSV fizeram um jogo movimentado na Rússia.  Pouco depois de abrir o placar com Poloz, o Rostov falhou na marcação e viu  Proepper aproveitar uma bola escorada e empatar para os holandeses. Em lance bem parecido com o gol do PSV, bola escorada e chute colocado, Poloz voltou a colocar o vice-campeão russo na frente. Porém, Siem De Jong deixou tudo igual.

Rostov x PSV Eindhoven
Poloz festeja um dos seus dois gols para o Rostov, que apnenas empata em casa com o PSV (Foto: Kirill KUDRYAVTSEV / AFP)


No segundo tempo o PSV teve uma chance de ouro para focar á frente do placar quando teve um pênalti a seu favor aos dez minutos. Mas Guardado chutou e o goleiro Dzhanaev defendeu.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO DE MADRID 1 X 0 BAYERN
LIGA DOS CAMPEÕES - GRUPO D - 2ª RODADA
LOCAL:
ESTÁDIO VICENTE CALDERÓN, Madri (ESP)
DATA E HORÁRIO: 28/9/2016 - 15h45min
ÁRBITRO: Szymon Marciniak (POL)
AUXILIARES: Pawel Sokolnicki e Tomasz Listkiewicz (POL)
CARTÕES AMARELOS: Saul (ATL); Thiago, Lahm, Boateng e Vidal  (BAY)
CARTÕES VERMELHOS: - 
GOL: Carrasco, 35'/1°T (1-0)

ATLÉTICO: Oblak; Juanfran, Godín, Savic e Filipe Luís; Saúl, Gabi, Koke e Carrasco (Gameiro, 27'/2ºT); Griezmann e Fernando Torres. TEC: Diego Simeone

BAYERN: Neuer; Lahm, Boateng (Hummels, 17'/2ºT), Javi Martínez e Alaba; Vidal, Xabi Alonso e Thiago Alcântara (Kimmich, 20'/2ºT); Thomas Müller (Robben, 14'/2ºT), Ribéry e Lewandowski. TEC: Carlo Ancelotti