Paulo Nobre e Alexandre Mattos

Presidente do Palmeiras é um dos denunciados por conta de declarações contra o apito (Foto: Jales Valquer/L!Press)

LANCE!
27/10/2016
21:18
São Paulo (SP)

Por conta das denúncias e reclamações contra a arbitragem no Campeonato Brasileiro, a Anaf (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol) enviou um documento ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) denunciando e pedindo a punição dos jogadores Lucca, do Corinthians, e Diego Souza, do Sport, do técnico Celso Roth, do Internacional, dos presidentes Daniel Nepomuceno, do Atlético-MG, Paulo Nobre, do Palmeiras, Wilfredo Brillinger, do Figueirense e Peter Siemsen, do Fluminense, e também do diretor Alex Brasil, do Coritiba.

De acordo com o documento, o órgão pede que os denunciados sejam enquadrados em três artigos: 258 (assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código), que prevê suspensão de uma a seis partidas; 243-F (ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto), que prevê multa de R$ 100,00 a R$ 100 mil e suspensão de uma a seis partidas; 57 (ofensa a honra), que prevê punições a pessoa física, como advertência, repreensão, multa ou devolução de prêmios.

Diego Souza e Lucca foram denunciados por situações semelhantes, nas quais se pronunciaram em entrevistas pós-jogo com reclamações contra o trio de arbitragem de suas respectivas partidas.

Diego foi citado por conta de suas declarações posteriores à derrota para o Palmeiras, no último domingo, no Allianz Parque:

- É vergonhoso o que aconteceu hoje (domingo). O campeonato está desenhado para o Flamengo e o Palmeiras, o resto é um campeonato à parte. O juiz tem de pagar caro pelo o que aconteceu hoje - esbravejou o meia do Sport.

Já Lucca se tornou alvo devido ao que disse depois de duelo contra o Flamengo, também no último domingo, no Maracanã, quando o Timão foi prejudicado por conta de um gol irregular anotado por Guerrero.

- Em um jogo grande, não pode ter um erro grosseiro como esse. Impossível errar dessa forma. Três ou quatro metros impedidos, não é possível - afirmou o atacante corintiano.

Para os dirigentes Peter Siemsen e Paulo Nobre, as acusações ficam por conta de suas posturas diante do episódio polêmico que tomou conta do último Fla-Flu. No duelo, em Volta Redonda, o árbitro Sandro Meira Ricci demorou mais de dez minutos para voltar atrás em sua marcação após validar gol irregular do Fluminense.

Segundo o documento, a Anaf deixa claro que "os árbitros são idôneos e não têm a intenção de favorecer ou até mesmo a prejudicar qualquer agremiação na disputa do referido certame, houve acusações, ofensas, desrespeito e insinuações infundadas".

Por fim, o órgão declara que "formadores de opinião, não podem e não devem expressar tais atrocidades na mídia, denegrindo este Tribunal Desportivo, a CBF e muito menos os árbitros". Além disso, diz ser inadmissível que tais personagens não escondam seus descontentamentos contra a arbitragem.