Jerome Valcke (Foto: Vanderlei Almeida/ AFP)

Jerome Valcke foi demitido pela Fifa nesta quarta-feira e não tem mais vínculo com a entidade (Foto: Vanderlei Almeida/AFP)

RADAR/LANCE!
13/01/2016
08:48
Zurique (SUI)

O Comitê de Emergência da Fifa anunciou, por meio de um comunicado oficial nesta quarta-feira, que Jérôme Valcke foi demitido do cargo de secretário-geral da entidade, ficando sem qualquer vínculo com a instituição.

Acusado de corrupção por venda ilegal de ingressos para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, o dirigente francês estava suspenso de suas atividades no futebol desde setembro. A Fifa informou que Markus Kattner, interino que ocupa a vaga de Valcke, está mantido no cargo de secretário-geral da entidade.

Mesmo com a demissão, Valcke continuará sendo investigado pelo Comitê de Ética da Fifa, que apura as possíveis irregularidades cometidas pelo francês durante a Copa de 2014. Na semana passada, Valcke, que a princípio ficaria suspenso de suas atividades por 90 dias, teve este período de inatividade estendido por mais 45 dias. Ele foi suspenso junto do presidente da Fifa, Joseph Blatter, e Michel Platini, presidente da Uefa.

Jornalista, Valcke começou a trabalhar na Fifa em 2003, ocupando o cargo de diretor de marketing e TV. Acusado de corrupção, foi afastado desta atividade três anos depois. Mesmo assim, um ano depois disso, em 2007, foi nomeado por Joseph Blatter como secretário-geral da entidade.

Valcke participou da organização das últimas duas Copas do Mundo, em 2010, na África do Sul, e no Brasil, em 2014, quando se envolveu em uma série de polêmicas, sendo alvo de muitos protestos de pessoas que estavam insatisfeitas com os moldes em que o Mundial foi realizado. O dirigente chegou a ser cogitado como possível candidato à presidência da Fifa, mas havia dito que deixaria a Fifa no início deste ano.