Bruno Grossi
28/01/2016
07:40
São Paulo (SP)

Já são 11 anos desde a última vez em que o são Paulo conquistou o Campeonato Paulista. A fila de mais de uma década é a maior entre os grandes clubes do futebol brasileiro nos torneios estaduais, mas o Tricolor confia que em 2016 o jejum terminará. A esperança são-paulina vem do banco de reservas, com as estratégias vencedoras do técnico argentino Edgardo Bauza.

Patón, como é chamado o treinador devido aos pés grandes, conquistou a Copa Libertadores da América duas vezes nos últimos oito anos com times organizados e fortes defensivamente - LDU (EQU), em 2008, e San Lorenzo (ARG), em 2014. No São Paulo, esses dois quesitos foram apontados como os pontos frágeis da equipe na temporada passada e Bauza apareceu como o antídoto ideal para deixar os erros no passado.

Antes da estreia no Paulistão, marcada para as 19h30 de sábado contra o Red Bull Brasil, em Campinas, o Tricolor realizou três testes na pré-temporada. Foram duas vitórias em jogos-treinos (2 a 0 sobre o Juventus e 1 a 0 sobre o Boa Esporte) e outra em amistoso contra o Cerro Porteño (PAR). O balanço das provas foi positivo, com o time mais compactado e correndo menos riscos no sistema defensivo.

Time-base do São Paulo no Paulistão
Time-base do São Paulo no Paulistão

Entre as principais mudanças em relação a 2015 está a coordenação dos laterais e volantes para atacar e defender. Se Bruno avança na direita, o chileno Eugenio Mena, primeiro reforço do ano, se posiciona quase como um terceiro zagueiro. No meio, o mesmo acontece com Hudson e Thiago Mendes. Os dois estão livres para revezar durante os jogos na função de proteger a zaga e atacar como elemento surpresa.

Com os movimentos mais organizados, os zagueiros ficam menos expostos do que no ano passado. A exigência na marcação também deve ser menor para os pontas, que têm sido Michel Bastos e Centuriíon desde o início da pré-temporada. Ganso é outro que deve ficar mais livre para encostar em Alan Kardec, a referência do ataque e um dos jogadores mais elogiados por Bauza no CT da Barra Funda.

OS REFORÇOS PARA 2016: 

OLHO NELE: Thiago Mendes
Nome: Thiago Henrique Mendes Ribeiro 
Posição: Volante
Naturalidade: São Luís (MA)
Nascimento: 15/3/1992
Altura: 1,77
Camisa: 23
Jogos: 57
Gols: 3

Thiago Mendes: 56 jogos e 2 gols
FOTO: Arquivo L!

Para ter Thiago Mendes, o São Paulo venceu a concorrência do Palmeiras em dezembro de 2014 e desembolsou, pelo câmbio da época, cerca de R$ 6 milhões para comprar 40% dos direitos econômicos que pertenciam ao Goiás. Depois de começar na reserva com Muricy Ramalho, ser testado na ponta e até de lateral-direito, o volante se firmou de vez com Juan Carlos Osorio após as saídas de Souza e Denilson.

Os desarmes precisos e a força para chegar ao ataque fizeram com que o camisa 23 caísse nas graças da torcida e se tornasse uma arma surpresa do Tricolor com arrancadas e chutes de fora da área. Em dezembro do ano passado, o São Paulo pagou mais R$ 4 milhões e comprou os 40% dos direitos que pertenciam a um grupo de empresários. Outros 20% seguem com o representante do jogador, Meer Kaufmann.

OPINIÃO DO EDITOR

"O São Paulo entra no Paulistão como o grande que há mais tempo não vence a competição. E a expectativa neste ano está justamente em uma atleta que fez parte da última conquista estadual: Diego Lugano. O setor defensivo foi o grande problema na última temporada e o uruguaio chega para tentar resolver isso, assim como a apatia da equipe nos momentos decisivos. Edgardo Bauza, responsável por montar times consistentes defensivamente, é outro exemplo de como o São Paulo pensa de trás para frente para voltar a vencer."

Por Rafael Bullara, editor do LANCE!