Léo Saueia 
28/01/2016
07:50
Santos (SP) 

Presente nas últimas sete finais do Paulistão e atual campeão (veja o desempenho nos últimos dez anos no torneio nas fotos acima), o Santos entra na competição com apenas dois reforços anunciados até o momento. Apesar da pouca participação nas transações, o time deve repetir o desempenho da última década e brigar diretamente pela taça. Mesmo com dificuldades financeiras e com diversas peças do elenco em evidência no mercado, o Peixe, até aqui, conseguiu manter sua base para a temporada que se inicia no próximo sábado, diante do São Bernardo, na Vila Belmiro.

À exceção de Marquinhos Gabriel, que retornou ao Al-Nassr, da Arábia Saudita, e Geuvânio, vendido ao futebol chinês, os comandados de Dorival Júnior podem repetir o desempenho do segundo semestre do ano passado, quando a equipe chegou a entrar no G4 do Brasileirão e perdeu a decisão da Copa do Brasil nos pênaltis para o rival Palmeiras.

Os atacantes Paulinho e Joel chegam justamente para preencher a lacuna deixada pela dupla que rumou para longe da Vila Belmiro. Com velocidade e bom drible, o ex-flamenguista deve inclusive começar o ano como titular do concorrido ataque santista. Já o camaronês, emprestado pelo Cruzeiro, pode fazer sombra ao artilheiro Ricardo Oliveira ou até mesmo aos pontas, já que consegue executar as duas funções em campo. Apesar de inicialmente feita para compor elenco, a contratação de Joel não pode ser subestimada e tampouco questionada, já que em 2015 o Peixe sofreu com a falta de opções de qualidade no setor ofensivo, vide o inesquecível gol perdido por Nilson na decisão da Copa do Brasil.

Time-base do Santos no Paulistão
Time-base do Santos no Paulistão

Por conta da política financeira que objetiva equilibrar as comprometidas contas, o torcedor não deve ser presenteado com muitos reforços além dos que já desembarcaram na Baixada. Além de Robinho, que negocia seu terceiro retorno, o Peixe busca um zagueiro para setor mais dramático. O argentino Oliver Benitez, que atua no Gimnasia y Esgrima La Plata é o alvo principal, depois de várias tentativas.

Os zagueiros tiram o sono de Dorival Júnior. David Braz lesionou-se na decisão da Copa do Brasil e deve retornar aos gramados apenas na reta final do Paulistão. Werley, seu reserva imediato, não agradou à torcida e retornou ao Grêmio. Desta maneira, a principio restará ao comandante alvinegro fazer o que o Peixe está habituado a fazer em momentos de vacas magras: apostar nos Meninos da Vila. Lucas Veríssimo, que treinava no Santos B, já foi integrado aos profissionais e mostrou segurança em sua primeira partida com a camisa do clube, no amistoso diante do Bahia, na Arena Fonte Nova.

Mesmo ausente da Libertadores, a diretoria santista se planejou contra um eventual desmanche e, até aqui, mantém uma excelente espinha dorsal. No Paulista, a equipe tenta alcançar sua oitava final consecutiva e busca se favorecer do fato de seus principais rivais estarem divididos entre o estadual e o torneio intercontinental. Assim como nos últimos anos, o Peixe vem forte.

OS REFORÇOS PARA 2016:

OLHO NELE: Ricardo Oliveira
Nome:
Ricardo de Oliveira
Posição: Atacante 
Naturalidade: São Paulo 
​Nascimento: 6/5/1980
Altura: 1,82
Camisa: 9
Jogos: 83
Gols: 51

Ricardo Oliveira
(Foto: Ivan Storti/LANCE!Press)

Difícilmente um clube brasileiro tenha atualmente tanta confiança em seu camisa 9 como o Santos tem em Ricardo Oliveira. Além dos gols que o fizeram artilheiro do Paulista e do Brasileiro no ano passado, o capitão do Peixe, aos 35 anos, ainda lida com o assédio do exterior, mas tem convicção de que fica na Vila Belmiro.

Embalado pelos 37 gols na última temporada, sendo 11 no Estadual em que foi artilheiro e campeão, o atacante não perdeu a motivação, pelo contrário. Mais uma vez ele entra no Estadual com o objetivo de balançar as redes mais vezes e levantar o troféu.

- Vocês podem esperar o mesmo de mim, um cara com muita fome e muita entrega. Esse é meu trabalho, minha função. Não abro mão de nada neste ano. Quero colher tudo aquilo que não consegui colher ano passado. Espero que este ano seja um ano de muita colheita para mim e para o Santos em geral - afirma.

Embora o Peixe tenha perdido dois jogadores importantes do setor ofensivo (Marquinhos Gabriel e Geuvânio), ainda há o que comemorar. Para Ricardo, o fato da base do time ter sido mantida dá à equipe não só mais entrosamento, mas também confiança.

Os reforços do Alvinegro na temporada são justamente no setor ofensivo. Foram contratados por empréstimo Paulinho e Joel, o segundo para ser reserva do camisa 9 quando necessário.

No entanto, apesar da idade, é raro que Ricardo Oliveira abra espaço para a concorrência. No ano passado, dos 71 jogos do Santos o centroavante esteve em 62, sendo que chegou à Vila Belmiro no fim da pré-temporada e foi desfalque por servir à Seleção Brasileira.

Se depender da confiança e da gana do artilheiro, 2016 promete gols e vitórias para Santos e seu capitão.

OPINIÃO DO EDITOR

"O Santos terminou 2015 em alta, em que pese tenha deixado escapar a vaga na Libertadores por 'abrir mão' do Brasileiro para dedicar-se à final da Copa do Brasil (que acabou perdendo). O time-base que Dorival montou ao assumir em condição delicada - na zona do rebaixamento nacional - perdeu apenas Marquinhos Gabriel e seu reserva imediato, Geuvânio. As contratações de Joel e Paulinho enviam a mensagem de que a equipe seguirá sendo insinuante no Paulistão, com as mesmas características de jogo. A ausência de David Braz por lesão é uma preocupação, por isso o clube busca reforço para a posição. Sob a batuta de Lucas Lima e contando com a capacidade goleadora de Gabigol e Ricardo Oliveira, é um dos grandes candidatos a conquistar a taça. Com os três principais rivais centrando fogo na Libertadores e bastante entrosamento, o Peixe tem boas chances de chegar à sua oitava final consecutiva e buscar o bicampeonato."

Por Valdomiro Neto, editor do LANCE!