Fora de Campo
21/11/2017
12:48
Rio de Janeiro (RJ)

Reconhecido mundialmente por sua qualidade no Futsal, Falcão projeta em seu filho Enzo, um sonho que não conseguiu realizar: ser jogador de futebol profissional. O filho do craque já mostra que a habilidade veio junto em seu DNA. Agora com 15 anos, Enzo está na base do Ituano, mas se destaca no futebol e futsal desde muito novo, o que mantém vivo o sonho do pai e do avô.

— Meu avô queria que meu pai jogasse futebol. Ele também queria. Tentou, mas não deu. Agora é a minha vez. Desejo isso desde criança. É minha paixão e prometo me esforçar ao máximo para conseguir — revela Enzo, que explica — Quero seguir os passos do meu pai, mas nos gramados. Ele me apoia muito e não me cobra. Diz apenas para eu ir atrás dos meus sonhos e treinar bastante — completa.

Falcão dá ao filho apoio total, no entanto, mantém cuidado para não colocar um peso muito grande nas costas do jovem:

— Ele está no caminho, mas sem pressão. Eu mesmo, dificilmente vou ver jogos dele, porque as pessoas querem saber quem é meu filho e podem cobrar desempenho simplesmente pelo fato de ser meu filho — explica o craque — Deixo o Enzo totalmente à vontade para trilhar seu caminho e fico na torcida para que realize o sonho de ser jogador profissional de futebol, que é também meu e do meu pai — completa.

Pai e filho se divertem muito e mantém uma rivalidade sadia nas disputas, jogam vídeo game, sinuca, futebol, mas Enzo confessa que na disputa de dribles, quem ganha é o pai:

— Em casa, a gente está sempre competindo, seja no videogame, no futebol ou outros jogos. E eu costumo ganhar do meu pai. Agora, quando o assunto é drible, eu não tenho chance, apenas olho e tento aprender, porque nessa ele ganha todas — confessa o jovem

Falcão, por sua vez, assume que Enzo vence no futebol às vezes.

— A gente sempre entra em uma competição saudável, porque o esporte ensina a ganhar e a perder. Quando entra em tecnologia, não tenho chance, mas na sinuca ele nunca levou. Já no futebol, às vezes ganha — contou o craque.

A rivalidade entre pai e filho foi testada na Copa Nescau Jovem Pan, onde eles disputaram em equipes diferentes no Desafio de Habilidades. A competição aconteceu no Pacaembu. Falcão foi capitão de uma equipe e Enzo integrou a equipe da central Bia, do Vôlei Nestlé. As equipe disputaram provas que exigiam domínio e precisão com a bola no pé, e como Enzo já havia adiantado, o pai se saiu melhor.

— Eu queria o Enzo no meu time, para a gente competir lado a lado, mas valeu a brincadeira e a oportunidade de participar ao lado dos meus filhos em uma ação tão legal, que reuniu mais de 5 mil crianças e jovens em uma olimpíada estudantil — avaliou o craque do futsal, que além do filho mais velho, levou Luigi para assistir ao evento — Ver meus filhos envolvidos com esporte é essencial, porque ajuda na formação deles. Se vierem a se tornar atletas, ótimo. Se não, ótimo também. Vou apoiá-los sempre. O importante é sermos felizes como pai e filhos — finalizou.