Mario Bittencourt (Foto: NELSON PEREZ / Divulgação Fluminense)

Mario Bittencourt se posicionou e rebateu entrevista de mandatário (Foto: NELSON PEREZ / Divulgação Fluminense)

LANCE!
26/01/2016
20:03
Rio de Janeiro (RJ)

Na manhã desta terça-feira, a divulgação de uma entrevista do presidente da Ferj, Rubens Lopes, apimentou a já tumultuada relação entre Flamengo, Fluminense e a entidade carioca. Na ocasião, em entrevista ao Globoesporte.com, o mandatário chamou a dupla e a Primeira Liga de "milicianos". Mais tarde, foi a vez de um dos envolvidos responder. Em coletiva, o vice de futebol do Tricolor, Mário Bittencourt, soltou o verbo.

- Lamentamos profundamente esse tipo de declaração e demonstra como o futebol está mau representado na Federação. Triste que estejamos lutando para a melhoria do futebol, parece que estou repetindo a entrevista de 2015, e a cena se repete um ano depois, mostrando a dificuldade nessa mudança - disse Bittencourt, que seguiu:

- Estamos sendo imputados por uma coisa que, na verdade, está contra nós. O ato miliciano vem sempre do lado de lá. A proibição que é ilegal. A Liga pode existir, está prevista na Lei Pelé. Ele inverte tudo. O presidente da Ferj ainda ameaçou com corte de cota no estadual. De distribuir a nossa e a do Flamengo a outros clubes. Isso é apropriação indébita. A gente já sofreu retaliação no ano passado. Foram claras. Fomos trocados de sede algumas vezes. Jogamos em locais e horários que ninguém atuou. Tivemos nosso principal jogador expulso aos 19 minutos de um Fla-Flu. Não esperamos nada de diferente. Vamos jogar (a Liga) de forma honrosa - afirmou.

Mesmo sem o aval da CBF e da Ferj, o torneio, que reúne clubes de Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, tem início nesta quarta-feira. E o Tricolor irá medir forças com o Atlético-PR, às 19h30, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.