Fluminense - Apresentação de Alexandre Torres como gerente de futebol

Torres comentou a busca do Fluminense por reforços para a temporada (Foto: Mailson Santana/Fluminense)

LANCE!
14/01/2017
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Abel Braga pediu e a diretoria do Fluminense foi atrás, mas as negociações pela chegada de Hernán Barcos estão encerradas há alguns dias. Alexandre Torres, gerente de futebol, confirmou que o argentino era visto com bons olhos pela direção e comissão técnica e deu explicações para o desfecho das conversas.

Segundo Torres, o negócio tornou-se inviável após o interesse do Fluminense no centroavante tornar-se público. Os valores foram inflacionados e o clube carioca preferiu não entrar em leilão pelo atacante do Vélez Sarsfield (ARG).

- O Barcos, com toda a sinceridade, esteve nos planos do Fluminense. Antes mesmo da minha chegada já era um nome que interessava. Mas como saiu do sigilo, um monte de gente se dizendo representante do jogador e vários propostas foram feitas acima do que o Fluminense estava propenso a pagar e desistimos, pois não queremos entrar em leilão. O Barcos é um grande jogador, fui informado que é um grande profissional, mas depois da divulgação do nome dele como reforço, inflacionou demais e ficou inviável a contratação dele - afirmou Alexandre Torres em entrevista à "Rádio Brasil".

Fluminense e Barcos estiveram perto de selar a transferência, mas o clube tricolor não quis dar garantias ao jogador argentino antes de abrir espaço na folha salarial. A saída de alguns nomes, em especial Henrique Dourado, era vista como providencial para a chegada do Pirata, o que não aconteceu.

Com um elenco inchado, a direção tricolor ainda trabalha pela negociação de outros atletas que não estão no perfil desejado pelo clube para o ano de 2017, tanto na parte técnica quanto na questão salarial. O zagueiro Gum foi um dos atletas que, por conta do alto salário, está na lista de negociáveis do Tricolor.

O defensor teve seu nome ligado ao Trabzonspor, da Turquia, e ao Santos, mas se reapresentou ao Fluminense e está participando da pré-temporada no CT Pedro Antonio. Aos 31 anos, Gum tem contrato válido até dezembro de 2018.

Jorge Moraes, empresário do defensor, afirma que não houve proposta oficial desde o fim do último Campeonato Brasileiro. No entanto, Alexandre Torres informou que o clube recebeu, sim, ofertas por Gum. O gerente de futebol disse conta com o camisa 3 e pediu respeito pela história do zagueiro no clube.

- Gum tem um passado vitorioso no Fluminense e uma conduta profissional irrepreensível. É um jogador que será sempre tratado por todos com muito respeito e carinho. Esse ano teve proposta, ainda está tendo, mas não vamos desvalorizar o que ele fez pelo clube. É muito querido pelos companheiros e diretoria e, estando bem fisicamente, a comissão técnica vai avaliar se será aproveitado como titular. Isso depende do desempenho dele nos treinos.

Alexandre Torres completou destacando que, apesar de não estar nos planos da diretoria e comissão técnica, nenhum jogador será afastado do elenco.

- Vamos aguardar as negociações para saber o futuro dele. Eu gosto muito do Gum. Não posso cravar que ele vai ficar ou sair. É jogador do clube. Não vamos botar ninguém para fora a força. Temos que valorizar nossos jogadores – disse.