Marcão - treinador do Fluminense

(Foto: NELSON PEREZ/FLUMINENSE F.C.)

Álvaro Oliveira Filho*
17/11/2016
14:53
Rio de Janeiro(RJ) 

Marcão não foi bem na hora de tomar suas decisões contra o Atlético Parananense no Maracanã, mas entendo a sua posição. Quando o presidente Peter Siemsem demitiu o Levir Culpi, falou que como queria a escalação e o interino  acatou, enchendo a equipe de meias. Marquinho também não foi bem, mas o pior erro foi ter tirado Cícero do meio, logo o jogador com melhor qualidade no passe. Ele fez o gol e só. Rendeu pouco.

Outro ponto foram as substituições, colocando Osvaldo, que não vinha jo-
gando com frequência. A entrada de Richarlison foi boa para o Fluminense, porém Marcão esperou o Atlético-PR empatar a partida para colocar o jovem atacante. Demorou. O ex-jogador não estava conseguindo tomar as decisões corretas. Marcão é técnico interino e não deve inovar. Restam apenas três jogos e agora não é a hora de tentar uma mudança radical. Ele deve fazer o simples, para tentar ficar com uma vaga na Copa Libertadores de 2017.

Aliás, o elenco do Fluminense não está bem montado e não era para estar brigando por vaga na competição internacional, mas mudanças na Conmebol e chance do G6 virar G7 seguem dando esperanças para o Tricolor nesta reta final de competição. Mas time que quer um lugar na Libertadores não pode ficar sete jogos sem vencer. 

* Álvaro Oliveira Filho é comentarista da Rádio CBN do Rio de Janeiro.