Peter Siemsen durante coletiva nas Laranjeiras (Nelson Perez/Fluminense F.C)

Peter Siemsen durante coletiva nas Laranjeiras (Nelson Perez/Fluminense F.C)

Matheus Dantas
09/06/2016
20:23
Rio de Janeiro (RJ)

Ainda não foi desta vez que o atacante Fred se despediu do Fluminense. Nesta quinta-feira, o camisa 9 não apresentou-se na sede das Laranjeiras. Então coube ao presidente Peter Siemsen, após 2h30 de espera por parte dos jornalistas, explicar a atual situação contratual do artilheiro, anunciado pelo Atlético-MG como reforço na noite de quarta-feira.

- Situação ruim chata, não concordo. Não é possível marcar uma hora e atrasar assim. Vim falar em respeito a vocês. O atraso se deu porque os representantes do atleta e do Atlético-MG ainda não conseguiram resolver todos os detalhes entre eles. Com o Flu já estava tudo resolvido. Isso frustra a possibilidade de uma entrevista com a participação do atleta e de outras pessoas - declarou Peter.

Questionado sobre a possibilidade da transferência de Fred para o Atlético-MG 'melar', apesar de ser dada como certa por todas partes envolvidas, o presidente não quis se antecipar aos fatos.

- É difícil dar opinião sobre algo que eu não tenho envolvimento. Não sei sobre a situação do Atlético-MG com o atleta. O Fluminense fez o acordo e não houve dificuldades. Se amanhã isso não andar para frente, será uma situação que teremos de administrar. Eles estão reunidos e acredito que não haverá problema.

Constrangido pela demora, a coletiva havia sido marcado pelo clube às 17h30, Peter Siemsen não poupou elogios ao camisa 9. Ainda declarou que entende a decisão de Fred, que deseja voltar a Belo Horizonte. 

- A vida é feita de ciclos. A esposa está grávida, a família é de Belo Horizonte, é mais um desafio perto do fim da carreira. É bastante justificável o interesse em atuar em uma equipe de sua cidade - comentou o presidente, antes de completar:

- Tenho certeza que as portas do Fluminense vão estar sempre abertas para o Fred. Se ele não voltar para jogar, que seja para exercer uma função administrativa, participar de alguma maneira. É um cara muito inteligente.

Quando oficializada, a saída de Fred concretizará uma "ameaça" feita pelo próprio atacante há algumas semanas. O camisa 9 chegou a dizer que não jogaria mais sob o comando de Levir Culpi, que tinha o respaldo da diretoria.

Porém, tanto Levir Culpi e Fred recuaram e o mal-estar foi dado como encerrado publicamente. A relação entre os dois seguiu não sendo das melhores, no entanto. Para o presidente, este fato não influenciou no desejo de Fred em deixar as Laranjeiras após oito temporadas.

- A questão do Levir com o Fred já ficou para trás. Não percebi no vestiário, no dia a dia aqui no clube, nenhum tipo de rusga entre os dois. Vi um atleta dedicado nos treinamentos e nos jogos. O técnico idem, buscando ajustar a equipe e trabalhando forte. Não vejo influência disso na eventual saída do atleta.