Levir Culpi em coletiva

Ex-Galo, Levir Culpi tem a missão de colocar o Tricolor nos trilhos em 2016 (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

Patrick Monteiro
07/03/2016
11:35
Rio de Janeiro (RJ)

Um empate bastava para a classificação, que poderia vir até com derrota. Porém, era preciso mais para emplacar e entrar na segunda fase com o peso de um time 31 vezes campeão. Em Xerém, o Fluminense superou o America, novamente recorrendo à experiência de Magno Alves, autor do único gol da partida.

Se o resultado satisfez a necessidade, o futebol apresentado ainda caminha para se tornar agradável aos olhos do torcedor. Com uma nova fase a começar, o Tricolor pode escrever de forma mais caprichada as suas principais páginas no Carioca-2016. Afinal, já existe ao menos um fato novo: Levir Culpi chegou. É justamente nele que a diretoria e a torcida depositam suas esperanças.

O homem que revolucionou o Atlético-MG, faturou a Copa do Brasil de 2014 e muitas outras conquistas que não necessariamente estão representadas num troféu: padrão tático, jogo vistoso, coragem para superar desvantagens quase irreversíveis...

Em Belo Horizonte, a loucura do "Galo Doido" - que partia desesperadamente para o cima do adversário - contagiava. E até mascarava as deficiências do sistema defensivo atleticano. Por falar em defesa, esse é o quesito que mais dará dor de cabeça ao novo comandante. Embora não tenha sido vazada diante do alvirrubro, a zaga tricolor proporcionou fortes emoções ao seu torcedor neste início de temporada. A linha formada por Wellingon Silva, Henrique, Marlon e Giovanni por ora não transmite segurança, ainda que os laterais apareçam com frequência e bem no apoio ao ataque. Contraditório é imaginar que o que era defeito em BH precisará ser corrigido imediatamente nas Laranjeiras pelo mesmo treinador.

Os homens de frente, por sua vez, alternam entre boas chances de gol e falta de inspiração. Neste caso, a grande missão parece ser encontrar uma fórmula que sirva para Diego Souza e Fred, que segue afastado por contusão.

Em suma, não é difícil imaginar um Fluminense forte a curto prazo. O problema vai ser transformar o projetado em realidade. Levir Culpi terá ajustes a fazer e vai precisar dar um pouco mais de equilíbrio à versão "Galo Doido do Flu". Missões perfeitamente possíveis para um dos melhores técnicos do Brasil na atualidade.