Campeonato Carioca-Fluminense x Botafogo (foto:Cleber Mendes/LANCE!Press)

Gum foi o salvador do Fluminense no clássico deste domingo (foto:Cleber Mendes/LANCE!Press)

Vinícius Britto
14/03/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

É quase um consenso entre os jogadores e comissão técnica tricolor: a equipe esteve muito abaixo e sofreu no clássico do último domingo. Falta maior entrosamento, comunicação entre os setores... Levir Culpi sabe que terá muito trabalho neste início no Fluminense até conseguir ter, de fato, um conjunto.

Primeiramente, a produção ofensiva precisa melhorar. Diego Souza quase não participou do clássico, mesmo sendo referência da equipe. Marcos Júnior e Osvaldo até apareceram pro jogo, mas sem a intensidade necessária. Gustavo Scarpa esteve abaixo do que pode render. Na defesa, Marlon teve uma das melhores exibições da temporada. Renato Chaves foi mal e mereceu a substituição por Gum, que ganhou pontos pelo poder de decisão no clássico.

O meio segue espaçado, e os volantes também são culpados por isso. Cícero não rende o que se espera na posição e Edson, pelo menos, volta a dar maior pegada no setor. Contudo, não tem a qualidade necessária para melhorar a saída de jogo do time. O jovem Douglas - destaque na vitória contra o Criciúma, pela Primeira Liga - pede espaço entre os titulares. E merece a chance.

Como Levir disse na coletiva, a semana livre para trabalho será importante para o time ganhar um corpo. Até porque, não terá jogo fácil. Flamengo no domingo que vem e Internacional na outra semana, pela Primeira Liga. No primeiro 'grande' teste, ficou se evidenciado os problemas da equipe. Mas quando o time ganhar o dedo do técnico, a tendência é melhorar. A conferir.