Edson Passos - Giulite Coutinho - Flu x Corinthians

Divulgação

LANCE!
12/09/2017
17:59
Rio de Janeiro (RJ)

A Ferj se posicionou diante da informação divulgada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e pela Polícia Civil de que, segundo investigações, o laudo do estádio Giulite Coutinho, em Edson Passos - utilizado pelo Fluminense entre julho de 2016 e julho de 2017 e que pertence ao América - foi concedido pelo Corpo de Bombeiros mediante pagamento de propina.

Em nota divulgada no fim da tarde desta terça-feira, a Ferj pontuou que "preza pela segurança do torcedor e defende a lisura e o rigor na apuração dos fatos".

A entidade ressaltou que, "como organizadora do futebol no Rio de Janeiro, a Ferj exerce o papel de cobrar dos clubes a apresentação dos laudos exigidos por lei para a realização das partidas, encaminhando-os ao Ministério Público".

Os órgãos responsáveis pela investigação e pela operação Ingenium - que cumpriu mandados de busca e apreensão e prendeu 34 pessoas nesta terça - não divulgaram se um dos clubes foi o responsável pelo pagamento de propinas.

Durante o dia, tanto Fluminense quanto América se posicionaram através de notas oficiais. Confira abaixo:

FLUMINENSE FOOTBALL CLUB:

- O Fluminense Football Club vem a público afirmar que jamais se valeu de práticas ilegais e nem se utilizou de vantagens indevidas com qualquer órgão público. O clube repudia atitudes irregulares em todas as suas formas e preza pelo cumprimento da legislação em vigor. O Fluminense sempre cumpriu todas as exigências necessárias para atuar dentro da normalidade. A Instituição se coloca à disposição para o que for necessário.

AMÉRICA FUTEBOL CLUBE:

O America Football Club esclarece que não tratou da obtenção de Laudo (LPCI) junto ao Corpo de Bombeiros em 2016, conforme veiculado em meios de comunicação. Portanto, o America Football Club não tem nenhuma responsabilidade sobre os fatos levantados e está à disposição das autoridades.