Cicero (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

Cicero, que começou no Tombense, tem 152 jogos e 39 gols pelo Fluminense (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

LANCE!
06/04/2016
17:47
Rio de Janeiro (RJ)

Muriaé (MG) não vai ser só mais uma escala na calendário tricolor em 2016. Para o meia Cícero, o estádio Soares Azevedo proporcionará um encontro com o passado. Quando a bola rolar, a partir das 21h45 desta quarta-feira, o camisa 7 enfrentará o clube que marcou o início de sua carreira. Há 15 anos, ele dava os primeiros passos no futebol.

- O Tombense foi o primeiro clube, depois que eu saí de Castelo (Espírito Santo), minha cidade natal, e comecei a viver fora de casa. Então, foi um clube que me projetou também. Um passo para a minha vida porque aprendi muitas coisas ali. Nunca imaginei que podia enfrentar o Tombense pegando com uma equipe profissional hoje. Então, é mais um clube que se estruturou bem durante todos esse anos e tem crescido cada vez mais. Temos que ter o total respeito, e, lógico, é um carinho enorme poder enfrentá-los - comentou, em entrevista ao canal Espn Brasil, o capixaba de 31 anos, que tinha 15 quando foi morar na cidade de Tombos e virou profissional no Bahia em 2004.

Apesar de estrear na Copa do Brasil-2016, o Fluminense visita o Tombense sonhando com a vaga antecipada para a segunda fase. Isso porque, caso triunfe por dois ou mais gols de diferença, eliminará a necessidade do duelo de volta. O Tricolor é líder da Taça Guanabara, finalista da Primeira Liga e não perde há nove jogos, sete sob o comando de Levir Culpi.