Diego Souza

Diego Souza disputa a temporada pelo Tricolor após mais de dez anos (Foto: Mailson Santana / Fluminense FC)

Patrick Monteiro
11/02/2016
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Em 2005, Diego Souza deixou o Fluminense. Vendido para o Benfica, foi emprestado ao Flamengo. No ano seguinte, jogou pelo clube português. Na sequência, passou por Palmeiras, Atlético-MG, Vasco, Al Ittihad, da Arábia Saudita, Cruzeiro, Metalist (UCR) e Sport. Nesta quinta-feira, uma década e sete meses depois, o carioca de 30 anos voltará a vestir oficialmente a camisa do Tricolor, já que participou apenas da Florida Cup na pré-temporada. A equipe das Laranjeiras mede forças com o Madureira às 17h, no Moacyrzão, em Macaé, com transmissão em tempo real do LANCE!, buscando a segunda vitória no Campeonato Carioca.

Se o Fluminense encabeça a lista dos clubes que defendeu, quando olhar para o banco de reservas o meia terá a referência de sua última temporada disputada. Foi com Eduardo Baptista que o camisa 10 voltou a atuar em território nacional após uma passagem pelo futebol ucraniano. Ambos ajudaram o Sport a terminar o Campeonato Brasileiro do ano passado na surpreendente sexta colocação.

- O Diego apareceu na minha carreira num momento de afirmação minha também. E ele tinha que voltar a brigar no cenário nacional. E nós crescemos juntos. Ele respondeu bem. Uma coisa que me deixou feliz foi uma entrevista que ele deu e falou em Seleção. Você estar com esse espírito é muito bom. Ele sabe que tem uma responsabilidade muito grande no Fluminense, mas nada maior do que ele pode carregar - disse Baptista.

Para o próprio comandante, o cenário tático que o meio-campista encontrará já na partida em Macaé será bem semelhante ao vivenciado no Leão da Ilha do Retiro. A diferença estará em parte da função do atleta no gramado.

- A maneira é bem parecida. Lá (no Sport) ele tinha o André, hoje tem o Fred. São centroavantes que saem para fazer o pivô, se assemelham bastante. Talvez a única coisa é que ele tem que sair um pouquinho menos para armar o time de trás, pois nós já temos um volante. Mas também tem liberdade. Se sentir dificuldade do time em sair, pode vir para linha dos volantes para ajudar o time a andar. No mais, tem a função de armação e se aproximar mais do Fred - explicou o treinador.- explicou o treinador.

Com o "reforço" de Diego Souza, caberá ao volante Douglas, que iniciou o jogo contra o Bonsucesso, sair do time titular do Tricolor. A outra novidade em relação ao duelo da rodada passada é o retorno do zagueiro Henrique, que cumpriu suspensão contra o Bonsucesso. Ele entra na vaga de Renato Chaves, lesionado na coxa direita. Assim, Eduardo Batista mandará para o confronto uma formação com: Diego Cavalieri, Wellington Silva, Henrique, Marlon e Giovanni; Pierre e Cícero; Danielzinho, Diego Souza e Gustavo Scarpa; Fred.