Wellington Silva (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

No Flu desde 2013, lateral foi se firmar no clube no ano passado (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Vinícius Britto
07/02/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Na linha tênue entre o ódio e o amor. Assim pode-se descrever a relação entre Wellington Silva e Fluminense. Muito criticado por parte da torcida tricolor, o lateral é peça de confiança do técnico Eduardo Baptista no esboço do time que será considerado o ideal do Fluminense em 2016. Além de ser um líderes do elenco atual, junto a Fred, Cavalieri e Gum.

Em seu primeiro ano no clube, em 2013, viveu um drama com lesões. Depois
de ter fraturado o pé esquerdo no início daquela temporada, ficou cinco meses fora. No seu retorno aos gramados, contra o Grêmio, foi detectada nova lesão, que o afastou durante mais tempo. Acabou jogando muito pouco naquele ano que seria o seu primeiro no Tricolor.

Na temporada seguinte, o lateral acabou emprestado ao Internacional. No Colorado, foi bem e ajudou o Inter a se classificar para a Libertadores. Com isso, retornou ao Fluminense com moral para o ano seguinte. E não desperdiçou a oportunidade no ano que seria o último de seu contrato. Assumiu a posição na lateral direita e não largou mais. Até por isso, teve seu contrato renovado no início do ano até o final de 2018.

Contra o Bonsucesso, essa relação de ódio e amor ficou mais em evidência. Depois de um começo de ano ruim - com derrotas para Atlético-PR e Volta Redonda - Wellington Silva chegou a ser vaiado no começo do jogo. Depois, se redimiu e deu duas assistências, para Cícero e Fred.

– Torcedor tem todo direito de vaiar, por isso, às vezes precisamos de um pouco de paciência para as coisas darem certo – disse o jogador na saída de campo.

Se das arquibancadas o lateral não recebeu tanto suporte, não se pode dizer o mesmo por parte de seu comandante. Titular desde sua chegada, Eduardo Baptista faz questão de exaltar a importância do jogador, lembrando que se trata de um dos líderes do atual elenco.

– Teve um primeiro tempo de erros. Mas é um jogador que erra e não se omite. Conversei com ele no intervalo e ele me disse que estava bem. Falei para ele fazer o que sabe, para ter a tranquilidade porque o grupo confia nele. Acabou sendo determinante nos gols. É um jogador importante, positivo, um líder. Confio muito nele – disse o treinador na coletiva pós-jogo.

Nem mesmo a concorrência de Jonathan, mais badalado e vindo da Europa, abalou Wellington. Com a confiança de Baptista, o lateral caminha para mais um ano tomando conta da direita no Flu.

Polivalência
Com alguns problemas na lateral esquerda durante parte do ano passado, Wellington Silva já quebrou galho na posição diversas vezes. Contra o Bonsucesso, com Giovanni cansado e sem opções no banco, ele foi deslocado para a esquerda e foi bem: na posição, deu a assistência para o quarto gol de Fred na goleada de 4 a 0.