Levir Culpi orienta o elenco no treino desta sexta-feira (Nelson Perez/Fluminense F.C.)

Levir Culpi orienta o elenco no treino desta sexta-feira (Nelson Perez/Fluminense F.C.)

LANCE!
22/10/2016
07:10
Rio de Janeiro (RJ)

Vivendo fase ruim, em uma sequência de três derrotas no Brasileirão, o Fluminense saiu do G6 do campeonato, que dá a classificação para a Libertadores do ano que vem. No entanto, nada de se desesperar, já que a distância para o Atlético-PR, último do grupo dos seis primeiros, é de apenas dois pontos. Por isso, o Tricolor já traçou a tática para terminar a competição com uma vaga no torneio continental de 2017 e isso envolve uma matemática simples: pensar jogo a jogo.

Com seu bom humor característico, o técnico Levir Culpi contou que não é bom com números, mas confia na matemática. Ele sabe que um determinado número de pontos vai dar a classificação, mas destaca que não tem fórmula mágica para chegar até a marca. Só é possível acumular três pontos de cada vez e por isso é preciso focar partida por partida.

– Eu sou péssimo em finanças, não sei nem o que tem no banco, quem administra isso é minha mulher. Mas eu confio na matemática, é uma ciência exata. Um determinado número de pontos vai te dar a classificação. Falaram que são 60 pontos. Agora, como se faz para atingir esses pontos? Você tem que ir jogo a jogo. Não adianta querer atingir logo 60 pontos. Cada jogo vale três pontos. Nossa conta é os três pontos contra o Coritiba. Tem que focar nisso, é ali que tem as chances de a gente formar três pontos. A gente só pode somar três pontos de cada vez, então tem que ir pensando jogo a jogo. Eu prefiro levar dessa maneira – disse.

Levir Culpi analisou a situação do Fluminense. Segundo ele, o time tem atuações regulares, mas está pecando nos resultados. Ele afirma que o Tricolor não deve nada a nenhuma equipe e pede que os jogadores tenham confiança para fazer uma boa reta final de campeonato.

– A regularidade dos jogos está boa. Nós estamos irregulares nos resultados, mas no jogo está ok. A gente tem que melhorar, mas não deve nada para ninguém nos jogos. Então é isso, é uma questão de confiança, permanência, firme e pode acontecer uma reta final muito legal – comentou Levir.

Agora resta saber se o Fluminense vai começar a adotar a filosofia do seu treinador amanhã, contra o Coritiba.