Treino do Fluminense - Magno Alves (Foto: Bruno Haddad/Fluminense FC)

Aos 40 anos, Magno Alves treina pesado para acompanhas o ritmo dos jovens (Foto: Bruno Haddad/FFC)

LANCE!
21/06/2016
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

É a hora de separar os homens dos meninos. Com o ataque do Fluminense vivendo má fase – é o pior do Brasileirão ao lado de Botafogo e Cruzeiro –, a responsabilidade de marcar os gols contra o Santos nesta quarta-feira, às 21h45, será do veterano Magno Alves, que terá sua primeira oportunidade como titular do Tricolor neste campeonato.

A oportunidade chega após Magnata entrar bem no jogo contra o Sport, no domingo, e deixar sua marca na derrota por 2 a 1. Aos 40 anos, mas com fôlego de garoto, o atacante quer provar que tem condições de assumir a titularidade e fugir de um estereótipo.

– Estou feliz pela chance, porque não é fácil hoje em dia a competitividade com jovens. Estou com 40 anos e tenho que demonstrar em campo que estou preparado. A oportunidade está aí e tenho que agarrar. Não quero o rótulo de jogador de segundo tempo – comentou.

O técnico Levir Culpi adotou um rodízio de atacantes em todo o Campeonato Brasileiro. O resultado: apenas oito gols em nove rodadas. Magno Alves nega ser a solução para o ataque do Fluminense, mas diz que não entra em campo pressionado, apesar da responsabilidade que terá com a camisa 20.

– Não me sinto pressionado nem obrigado a marcar. Mas sou experiente e a responsabilidade é grande. Temos que decidir as chances que tivermos. É a primeira oportunidade que tenho no Brasileiro. Se tudo der certo será a primeira de muitas – avaliou o Magnata.

Quem deixará a condição de titular para a entrada de Magno Alves é o jovem Richarlison, de 19 anos. Tratado como joia por Levir Culpi e diretoria do Fluminense, o atacante ainda não conseguiu desencantar com a camisa grená.

Além da entrada de Magno Alves no lugar de Richarlison, o técnico Levir Culpi deve promover outra mudança na equipe do Fluminense. Na terça-feira, nas Laranjeiras, Pierre treinou no lugar do volante Edson.

Sem atuar desde o dia 29 de maio, quando se lesionou no clássico com o Botafogo, Pierre atuará ao lado de Douglas e Cícero. Já Edson perde a vaga após partida ruim diante do Sport, na qual foi substituído aos 38 minutos do primeiro tempo por Levir Culpi.