Vinícius Britto
04/03/2016
21:14
Rio de Janeiro (RJ)

Fim do mistério. Em uma grande festa na noite desta sexta-feira, no Salão Nobre das Laranjeiras, o Fluminense apresentou os novos uniformes para a temporada 2016, frutos da parceria entre o Tricolor e a nova fornecedora de materiais esportivos do clube, a Dryworld.  

O evento contou diversas presenças ilustres: desde ex-jogadores, como o ídolo Romerito - campeão brasileiro pelo clube em 1984 - até o presidente da Dryworld, Claudio Escobar, e o escocês Matty Weingart, um dos fundadores da marca de material esportivo.

O lançamento contou também com um coquetel, DJ e apresentação do jornalista Pedro Bial, apresentador do Big Brother Brasil. Marcado para 19h, o desfile só começou às 20h30. O início foi com Cícero, apresentando a camisa de treino. Depois, vieram os goleiros, a dupla de zaga Marlon e Henrique, seguida pelos garotos de Xerém Danielzinho e Léo Pelé. Depois, Diego Souza com a camisa número dois - branca com detalhes grenás - e, por fim, Gustavo Scarpa com a nova camisa tricolor e a faixa de capitão. Os atletas entraram pelo centro da pista e subiram em um palco montado para a melhor visão dos convidados.

- É um momento diferente. Foram tantos anos associados a uma marca que a gente não tinha ideia de que isto ia acontecer. Mas está acontecendo de uma maneira muito legal. A Dryworld é uma empresa nova, jovem e que mostra muita vontade de se tornar uma das maiores do mundo. E ela agora faz parte do nosso time. Nós torcemos para o Fluminense e para todos que nos apoiam. Ela é nossa marca. É com que ela que iremos brigar, seremos os guerreiros e vamos almejar grandes conquistas - discursou o presidente Peter Siemsen.

Anunciado oficialmente pelo clube minutos antes do evento, Peter celebrou também o acerto com Levir Culpi e projetou uma temporada de sucesso:

- Estamos com um técnico novo, que também está com muita garra e isto é muito legal. Hoje foi um dia muito bom e que, se Deus quiser, será o marco de uma grande virada para o Fluminense - completou o presidente.

A empresa canadense irá pagar ao clube R$ 13,5 milhões por ano por um contrato de cinco temporadas. A antiga fornecedora de materiais esportivos - Adidas - pagava R$ 4,5 milhões por cada 12 meses de contrato.