Magno Alves

Trabalho forte: Mesmo aos 40 anos, Magno Alves tem fôlego de menino (Foto: Nelson Perez/FFC)

LANCE!
21/06/2016
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

A péssima média de 0,88 gols por partida no Campeonato Brasileiro deve provocar mudanças na equipe do Fluminense nas próximas rodadas. O desempenho ruim do setor ofensivo – pior ataque da competição ao lado de Botafogo e Cruzeiro –, já é assunto de discussão interna nas Laranjeiras.

As constantes modificações no ataque podem ser entendidas como um sinal de insatisfação de Levir Culpi com seus comandados, mas o treinador afirma que o rodízio faz parte de sua estratégia. Além disso, Levir Culpi pediu paciência com o jovem Richarlison, que está sendo o responsável por fazer a função em campo de Fred, atuando mais centralizado.

– Temos discutido bastante o aproveitamento das oportunidades. O Richarlison é um menino e temos que saber como tratar. É um diamante a ser lapidado. Mas temos outros jogadores, como o Magno, que é um artilheiro e entrou bem na partida – afirmou Levir Culpi após a derrota por 2 a 1 na Ilha do Retiro, no último domingo.

Elogiado, Magno Alves entrou no segundo tempo do jogo com o Sport e marcou o gol do Tricolor. Com pouco tempo para trabalhar o time – o Fluminense treina hoje nas Laranjeiras e já embarca para o Espírito Santo, local do jogo com o Santos –, Levir Culpi pode apostar na experiência do Magnata nas próximas partidas. O veterano atacante já aguarda a oportunidade.

– Venho trabalhando para dar meu melhor para ajudar a equipe. Respeito as decisões do professor Levir mas, mesmo com 40 anos, sei que ainda posso dar meu melhor. E isso independentemente de ser no início do jogo ou entrando no segundo tempo. Tenho certeza que isso é uma dor de cabeça boa para ele – disse ao site oficial do Tricolor.