Fluminense x Atlético-PR

Marcos Junior deixou sua marca, e Fluminense venceu o Furacão (Foto: Paulo Sergio/Lancepress!)

Matheus Babo
21/04/2016
00:18
Rio de Janeiro (RJ)

O título da Primeira Liga, conquistado pelo Fluminense nesta quarta-feira na vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR, deve-se muito ao brilho individual dos seus jogadores. Após a derrota na estreia para o próprio Furacão, o Tricolor sempre teve um jogador que decidiu nas partidas seguintes. E todas elas foram decisivas, já que com o revés no primeiro jogo, o time não pôde mais errar. Marcos Junior foi o nome determinante na decisão em Juiz de Fora.

Logo na segunda partida, em um dos melhores jogos do ano, o meia Diego Souza foi o cara. Com três gols, ele garantiu a vitória por 4 x 3 sobre o Cruzeiro, fora de casa. Pouco tempo depois, deixou o clube e esta passagem deve ser lembrada apenas por essa atuação.

O terceiro e decisivo jogo contra o Criciúma marcava a estreia de Levir Culpi no comando do time. E novamente um jogador teve que brilhar individualmente para salvar o Tricolor. Gerson, em sua primeira grande atuação após a "volta do que não foi" para a Roma, marcou duas vezes e garantiu o time nas semifinais.

Na semifinal. Briga de cachorro grande. O duelo contra o Internacional teve dois heróis. No tempo normal, Osvaldo marcou os dois gols e nos pênaltis Cavalieri pegou duas vezes.

Na decisão, coube a Marcos Junior a missão de sair como o herói da noite. Sem o capitão e ídolo Fred, que só jogou o primeiro jogo, os coadjuvantes foram fundamentais para a conquista. E eles decidiram. Parabéns ao Fluminense pelo título da Primeira Liga.