João Carlos Cabofriense Fluminense

João Carlos foi apresentado na última semana pelo Fluminense (Foto: Lucas Merçon/FFC)

LANCE!
21/04/2018
06:20
Rio de Janeiro (RJ)

Em um momento em que os clubes gastam fortunas para garantir seus elencos, o Fluminense se reforça como pode. Sem condições financeiras para fazer grandes loucuras, o Tricolor apostou em empréstimos - todos com opção de compra -, ou pequenas quantias para satisfazer os desejos do técnico Abel Braga. Com a chegada de Luan Peres, Douglas Moreira e João Carlos, a equipe das Laranjeiras estabelece um perfil de alvos.

Antes mesmo do início do Brasileiro, os nomes trazidos pelo Flu já mostravam o pensamento. Jádson e Gilberto, que não estavam em alta, mas mostraram qualidade, foram os primeiros anunciados. Airton fugiu dessa proposta pela idade já avançada, mas é alguém que leva experiência e teve custo zero.

Dos nomes que chegaram agora, os três seguem um perfil claro. Jovens, menos badalados, com experiências em clubes médios/pequenos e o mais importante: não obrigam o Flu a desembolsar nada nesse momento, já que a opção de compra será apenas ao final da temporada.

João Carlos fez bom Carioca pela Cabofriense, principalmente no duelo contra o próprio Fluminense. Douglas estava em destaque pelas boas atuações no Criciúma, mas, mais uma vez, não era um atleta em tanta evidência nesse momento por atuar em um campeonato menos visado. O caso de Luan é semelhante, exceto que a Ponte Preta é uma equipe que costuma aparecer mais.

O zagueiro aparenta ser ótimo reforço, o volante ainda pode surpreender e o atacante precisará se provar. Todos chegam para serem reservas em um primeiro momento, mas ajudam Pedro Abad e cia a acalmarem o coração de Abel, que já estava cansado de cobrar reforços e não obter respostas.

- Enfim, temos de trazer jogadores para dar o salto de qualidade. Há um problema sério que é a dificuldade financeira para trazer o jogador escolhido. Então, temos de ir atrás de jogadores que tenham minimamente essas características e dentro do perfil que o Abel quer e o que o clube pode - explicou Paulo Autuori, diretor de futebol do Flu, em entrevista coletiva no começo do mês.

As necessidades são bem claras, mas a busca foi por opções que, mesmo com pouca idade, tivessem destaque recente. São apostas, todas elas, mas o momento justifica tais escolhas. A experiência que o Fluminense precisa deve aparecer com o atacante ou o meia para a reserva de Sornoza. A desconfiança do torcedor, porém, fica, por não saber bem o que esperar dessa nova equipe.