Matheus Dantas
14/10/2016
00:14
Volta Redonda (RJ)

O diretor de futebol Jorge Macedo foi o único nome ligado ao Fluminense que falou com a imprensa após a polêmica derrota para o Flamengo, nesta quinta-feira, por 2 a 1 no Estádio Raulino de Oliveira. Em breve coletiva, o dirigente afirmou que o árbitro Sandro Meira Ricci (SC) assumiu aos jogadores do Flu, ainda em campo, que foi visto na televisão a posição de impedimento dos atletas do Tricolor no lance mais polêmico do confronto, que interrompeu o jogo por cerca de dez minutos e acabou com o gol de Henrique anulado.

- Muito estranho o que ocorreu. No primeiro gol do Flamengo, o Réver, impedido, deslocou o nosso goleiro. Os jogadores do Fluminense conversaram, o árbitro não considerou opinião de ninguém e deu o gol. Estranhamente, no nosso gol, o bandeira dá impedimento, os atletas falam com ele. Ele (auxiliar) achava que Cícero tinha feito o gol e pergunta ao árbitro: "Quem fez o gol, Sandro (Meira Ricci)? O Henrique, que não estava (impedido). Todos os jogadores saíram, daqui há pouco vem todo o banco, que houve de alguém externo, afirmando que na televisão afirmaram que os jogadores estavam impedidos. Aí, depois de muito tempo ele muda de opinião e invalida o gol. É uma interferência externa bruta. Todo mundo quer a mudança do vídeo no futebol, mas ainda não está na regra. Uma interferência externa deu um prejuízo muito grande ao Fluminense - declarou Jorge Macedo, que, quando questionado se o árbitro havia confirmado a interferência da televisão, disse:

- Sim. Falou para o atletas - respondeu brevemente o diretor de futebol do Flu.


Esta não é a primeira vez que o Fluminense sente-se prejudicado em 2016 pela arbitragem. O caso mais recente foi nas oitavas de final da Copa do Brasil, na partida contra o Corinthians que resultou na eliminação do Tricolor. Naquele confronto, os jogadores do Fluminense reclamaram de dois pênaltis não marcados e da anulação de dois gols, que, assim como nesta quinta, os autores estavam em posição de impedimento. Pelas críticas, Cícero, Marquinho, Peter Siemsen e Levir foram denunciados pelo STJD, mas acabaram absolvidos no tribunal.

Esta situação foi a justificativa dada pelo Fluminense para que nenhum outro atleta, dirigente ou membro da comissão técnica tricolor desse declarações à imprensa após o Fla-Flu desta quinta-feira, em Volta Redonda.

- O Fluminense não vai aceitar esse tipo de coisa. Os jogadores estão de cabeça quente e não vão falar. Não queremos correr riscos - afirmou Jorge Macedo, que ainda comentou o que espera que o árbitro Sandro Meira Ricci relate na súmula do clássico:

- Espero que ele fale a verdade. Ele deu gol do Henrique, foi avisado pela interferência externa e voltou atrás. Ainda teve a questão dos acréscimos, o jogo ficou parado por muito tempo com atendimentos. A arbitragem se perdeu completamente no final. É com muita indignação que estamos aqui - encerrou.